Seven Seas

Seven Seas RPG, uma Terra em um universo paralelo no século XVII, a era de ouro da pirataria. Aventuras de capa e espada, batalhas navais e um mundo inteiro pra descobrir e explorar o aguardam.

Fale Conosco

Procurados
Procurados Seven Seas

Últimos assuntos
» Parceria com Hero Story RPG
Sex 06 Jul 2018, 15:15 por Eric-Nero

» [Aventura] Um novo começo
Sex 29 Jun 2018, 11:03 por OtakuFedido

» [Aventura] Tudo tem seu preço... A ser pago.
Qua 09 Maio 2018, 23:04 por Delara

» [Evento] Chegada ao deserto
Qua 02 Maio 2018, 09:45 por Hiruma

» [Aventura] A Escola de Feitiçaria Francis para Piratas.
Ter 10 Abr 2018, 13:11 por Francis Mc'Dowell

» [Ficha] Anne Bonny - Anne Bonny
Sex 06 Abr 2018, 08:07 por Teach

» O Barco Escravista
Qua 04 Abr 2018, 22:12 por Apolo

» [Tripulação] Bad Company
Ter 03 Abr 2018, 09:09 por Teach

» [Evento] Delegação de Persis
Sab 31 Mar 2018, 15:20 por Hiruma

Prêmios do Mês
Hiruma
Narrador
Eponine
Herói
Missão
Francis
Interpretação
Kristopher
Vilania
Staff Online

Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

Por favor, faça o login para responder

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

em Qui 08 Mar 2018, 15:03

Uma espada para um espadachim
RESUMO
Hector parece não estar satisfeito com seu equipamento atual, e por isso busca nos arredores de sua cidade por um ferreiro que possa lhe oferecer um novo equipamento. A questão é, Hector não tem dinheiro, logo precisa fazer alguns favores para que o ferreiro cubra os custos.
FINAL
Hector completa todas as tarefas e recebe seu equipamento, para então ir embora.
RECOMPENSA
Vantagem PERTENCE CARACTERÍSTICO (3) - Espada
PASSOS
Passo 1: O ferreiro estabelece algumas tarefas para o jogador, e após cumpri-las, ele forja sua arma.

Era uma tarde como outra qualquer até o presente momento, podia sentir leves brisas, características de regiões litorâneas, á pentear levemente meus cabelos para a esquerda conforme caminhava pelas ruas e vielas de Avalon. O equipamento que trazia em diagonal sob minhas costas parecia atrair atenção, mas nada incomum demais para alarmar as outras pessoas.

Eu conhecia aquele lugar, e aquele lugar não queria me conhecer. O fato era que aquela espada já não me trazia mais confiança, já que em meio á execução de um serviço, por pouco não tornou-se á ficar agarrada sobre a carne de meu alvo e colocar-me numa situação fatal.
As rendas que conseguia não eram muitas, e ainda que fossem, eram todas destinadas á pagar impostos e comprar o básico para sobreviver, mas ainda assim, guiava-me até o estabelecimento do ferreiro local daquela cidade; ele tinha uma boa fama, a melhor das três ilhas de Avalon. ''Toc toc'' ecoou a madeira, a porta estava aberta mas ainda assim pensava ser melhor avisar que havia chegado.

''Oque há? Veio fazer reparos (citou conforme observava o cabo da espada sobre meu ombro) ou veio comprar uma nova?'' Indagou-se o homem, conforme virava-se em minha direção e limpava ambas as mãos com um pano cinza que um dia já foi branco;
''Bom, eu vim comprar, mas não no sentido literal da palavra.'' Comentei, e antes de dar continuidade, fui interrompido pelo homem. ''Se és um daqueles camponeses que me veem mendigar uma arma, adiante o tempo de nós dois e vá embora por aquela porta. Não faço caridade!'' Uma personalidade forte e ardida de um homem que lidava com ferro e fogo, bom, não me era um espanto; ainda assim, bufei, não gostava de utilizar de um título que para mim já não me servia mais.
''Bom, eu faço parte da guilda de duelistas. Suponho eu que um homem como você, que utiliza de metais algumas vezes preciosos, possa precisar de alguma segurança... Diga-me oque fazer, e farei, desde que me forje uma obra-prima de espada.'' Ofertei ao homem, curioso pela sua resposta.

Ver perfil do usuário

em Sex 09 Mar 2018, 08:08

O homem apagava a fornalha que havia acabado de acender, sorte do garoto que não tinha começado a trabalhar sua arma nova ainda, se não iria apenas o ignorar. Sinceramente estava de saco cheio da idéia de "Posso te proteger se me der uma arma.", não é nem a primeira pessoa na semana que lhe vem dizer isso.
Hector viu o ferreiro entrando através de uma portinhola que dava para os fundos e onde ficava sua área de trabalho, não era muito alto, devia ter um metro e setenta no máximo, em compensação parecia ter quase noventa quilos de músculos.
Então sem muita pressa foi até o balcão e puxou uma listinha debaixo dele, a colocando sobre a madeira para apoio e passando os dedos pelo papel como se buscasse algo, virava as páginas e procurava de novo, parando em uma página cheia de números e nomes de materiais específicos.
Então o ferreiro levanta o rosto para Hector com um sorriso e lhe diz:

— Estou em falta de alguns materiais, e a última pessoa quem mandei buscar não aparece tem dois meses... — Deu de ombros, pegou o caderno e começou a listar os itens.
Materiais:
- 20 Corações Ressonantes
- 10 Ágatas de Fogo
- 500 gramas de pedra de Obsidiana
- 1 litro de Sangue Cerúleo Real
- 10 fragmentos de Casco de Tartaruga-Dragão
- 100 gramas de Gelo Envenenado
- 5 frascos de Poeira Estelar
- 10 folhas de Freixo Draco-Angelical
- 1 semente de Freixo Draco-Angelical
— Bem, isso deve ser o suficiente para o próximo semestre. — Então ele fecha o caderno e o coloca de volta debaixo do balcão e se apoia com os cotovelos olhando para você — Um mês, que tal? Todos eles podem ser encontrados através das ilhas. — Lhe estendeu a mão como quem está preparado para selar um acordo — Se voltar antes do trigésimo primeiro dia, eu faço sua "obra-prima".

Ver perfil do usuário

em Sex 09 Mar 2018, 09:23

''Pode ao menos tornar estes afazeres possíveis?
Quero dizer, não sei a aparência e/ou formato destes materiais e tampouco onde encontrá-los. Procurar aleatoriamente por toda Avalon é bem longe de uma opção.''
Negociei com o homem para que ao menos me desse descrições físicas e alguma região para procurar. Eu tinha medo daquele prazo ser uma mentira, e o tempo estimado para trazer aqueles minérios até mesmo mais duradouro. Estava acostumado com homens a querer serviços por custo zero, mas acreditei que este não fosse o caso, não ditando nada sobre o assunto de momento.

Ver perfil do usuário

em Sex 09 Mar 2018, 09:47

— Você tem cara de aventureiro, achei que fosse conhecer pelo menos algumas dessas! — Sorriu e virou o rosto, sussurrando para si mesmo, pegou seu caderno novamente, tirou uma folha e escreveu uma carta — Essas crianças de hoje em dia... — Vá para o biblioteca e apresente esse papel, a atendente lhe entregará um livro que contém um desenho do item, sua descrição, propriedades, usos, como encontrá-los e extraí-los. — Ele lhe entrega o papel dobrado e começa a andar em direção à portinhola de onde tinha vindo antes — Tenho que trabalhar!

Carta:
Srta. Feuer
Estou mandando um garoto para pegar o livro Materiais do Forjador já que o anterior não apareceu mais.


Ver perfil do usuário

em Sex 09 Mar 2018, 10:07

Antes fosse um... As coisas seriam tão menos complicadas. - Bufei; era um sonho tolo, mas quem sabe em breve, não se tornaria realidade. - Enfim, agradeço á ajuda; até mais ver, Theobold. - Despedi-me, guardando o pedaço de papel dentro do bolso de minha calça, igualmente feito á lista de materiais conforme a dobrava para caber no compartimento. E assim como feito pelo ''empregador'', dei as costas para o homem conforme iria diretamente para fora do estabelecimento.

[...]

Após um tempo razoável caminhando pela Ilha, pude enfim chegar no local que o homem se referia. Encontrava-se aberta, então tudo que fiz foi dar alguns passos e encontrar-me já dentro de seu interior. Aproximei-me do balcão assim que vi uma pessoa de aparência feminina, e quando próximo o suficiente, comecei um diálogo. - Com licença, você é a Srta. Feuer? - E caso houvesse qualquer confirmação por parte da mesma, continuaria. - Theobold, o ferreiro, mandou-me entregar-te uma carta. - Falei, colocando o papel dobrado sobre a superfície do balcão e arrastando-o até próximo da mesma, para então afastar o palmo e aguardar sua leitura.
 

Ver perfil do usuário

em Sab 10 Mar 2018, 10:44

Não deveria ter passado meia hora quando Hector encontrara a biblioteca. Era uma estrutura circular mais larga do que alta, com cinco pilares de pedra em volta do edifício que tinha paredes de madeira antiga porém bem cuidadas. As janelas mostravam algumas das dezenas estantes de livros que haviam no local.

Entrando no local, já tinha uma escadaria à sua esquerda que seguia a parede e levava para o segundo andar onde tinham mais algumas estantes. À sua direita um balcão com uma mulher que não devia ter mais que 20 anos, era claramente meia-avaloniana e meia-aiseniana, cabelo loiro escuro separado em duas tranças e um par de olhos azuis escuro separados por um pequeno nariz com cortado por sardas de que iam de bochecha à bochecha e lábios vermelhos definidos.

A biblioteca era grande as estantes de madeira escura levemente arredondadas para o meio criavam um labirinto circular que levava para uma clareira de com uma grande mesa e vinte cadeiras ao redor. Separadas por seções, a biblioteca definia muito bem as categorias de livros, porém era notável que alguns livros estavam obviamente fora de lugar, a menos que ultrarealismo tecnologico-sexual fosse realmente uma categoria de livros para crianças. Mas era de se esperar, a biblioteca era grande demais para que apenas uma aparente atendente cuidasse de todos eles.

A mulher te vê entrando e fecha seu livro, se vira para você juntando as palmas das mãos perto do abdôme e faz uma reverência formal. Porém, ela se mantém sempre apática, não esboça nem um sorriso educado.

— Sim. — Responde de maneira fria, porém não rude — Theobald.
Ela te corrige assim que pega a carta, dá uma lida rápida e suspira. Abre uma tampa que tinha do outro lado do balcão e começa a caminhar em direção ao centro do labirinto circular de estantes.
Usava um vestido comum para as moças de Eisen, conhecido como dirndl, porém em alguns pontos tinham bordados azuis e brancos típicamente usados por avalonianos. Não tinha muitas curvas, mas assim como toda mulher, deslizava o quadril para os lados conforme andava, mas um pouco mais que o normal.

Chegou em uma estante que ficava uma fileira atrás da "clareira", tentou pegar o livro mas não o alcançava, voltou para pegar uma das cadeiras e subir nela e pegar o Materiais do Forjador, colocando a cadeira de voltar no lugar. Ela lhe entrega o livro e se dirige novamente à sua mesa, sentando no seu banquinho e lendo seu livro.

O livro era grande e pesado, a capa era de uma madeira fina revestida por um couro tão fino quanto. As folhas de dentro eram meio brancas, mas na borda ainda tinham os manchados marrons por causa da idade. Na capa tinha escrito em pirografia o nome do livro, e em baixo uma bigorna com uma espada presa na cabeça de um monstro.
Para facilitar sua busca, o livro tinha um índice que mostrava todos os itens em ordem alfabética, com mais de 600 itens, todos eles tinham sua própria página, resultando em livro com aproximadamente 325 folhas.

Livro:
Ágata de Fogo:

Descrição: Uma pedra preciosa variante da calcedônia, supõe-se que ela tem esse formato devido à água contendo grandes quantidades de sílica e ferro entra em contato com atividade volcânica.
Propriedades: Contém boa quantidade de ferro e sílica. A luz quando passa pela pedra cria a ilusão de fazer uma pequena chama.
Usos: Pode ser usado tanto em jóias quanto para polir aço, dando um brilho de chama quando exposto à luz forte.
Área: É mais comum no norte do Novo Mundo, mas também pode ser encontrada em vulcões ao nordestes de Avalon, ao norte de Eisen, ao sul de Vesten e ao oeste de Ussura.
Extração: Assim como a maioria das pedras preciosas, é necessário tirar boa parte da pedra onde ela se encontra para então moer a pedra e então polí-la.
Coração Ressonante:

Descrição: Uma planta que cria folhas quentes para proteger suas sementes. Quando estão em fase de crescimento é criado primeiro uma armadura antes da semente começar a aparecer, quando estão maduras elas caem e explodem para espalhar suas sementes.
Propriedades: Quando próximo de calor intenso ou muitas estão próximas, suas sementes começam a brilhar. Impacto súbito de um Coração Ressonante pode criar uma pequena explosão com possibilidade de cegueira, sufocamento e ardência dos olhos e vias respiratórias.
Usos: Suas folhas e sementes quando móidos são um ótimo tempero apimentado, porém deve ser feito com cuidado devido à seus efeitos explosivos. Para ferreiros, as folhas são ótimas iniciadoras de fogo, enquanto o pólen deixado pela explosão pode ser usado para aumentar o tempo que o aço fica quente, facilitando a molda.
Área: Qualquer lugar de calor intenso, mas é mais freqüente em cavernas vulcânicas que contenham terra e água.
Extração: Quando ainda em crescimento, pode ser tirada sem problemas. Quando madura, coloque a mão diretamente em baixo e pressione o caule onde está presa com cuidado, o coração deve se soltar sozinho.
Freixo Draco-Angelical:

Descrição: Esse nome é devido a altura imensa da árvore, por se parecer com os dragoeiros de Ifri e quando o vento passa por entre as folhas é criada uma melodia angelical.
Propriedades: As folhas e a madeira são extremamente leves e tem imensa resistência ao fogo. As sementes são densas e pequenas, algumas aves as confundem com seus ovos.
Usos: As folhas e madeira são usadas em locais de alto risco de incêndio, crianças podem brincar de flutuar quando pulam segurando as folhas. Cada semente tem um valor inestimável devido as suas propriedades de curar qualquer veneno, para um adulto saudável elas aumentam sua resistência temporariamente.
Área: As árvores podem ser facilmente encontradas em locais sem população, as sementes no entanto são raras.
Extração: Tanto a madeira quanto folhas e sementes podem ser extraídas da maneira comum.
Gelo Envenenado:

Descrição: Gelo levemente azul-esverdeado que exala um vapor frio de coloração verde.
Propriedades: Ainda não é conhecido. Supõe-se que seja bolhas de ar congeladas. O vapor frio é venenoso.
Usos: Pode ser usado por alquimistas e hexenwerkers para suas poções. Ferreiros são capazes de resfriar sua arma usando esse bloco de gelo ao mesmo tempo dando propriedades venenosas à arma.
Área: Comumente encontrado em geleiras e cavernas de gelo.
Extração: É recomendado proteção devido suas propriedades venenosas, sua extração é feita igual gelo normal, cortando-o, retirando-o e carregando-o. Demora mais que o gelo normal para derreter.
Obsidiana:

Descrição: Vidro vulcânico da cor preta ou roxa.
Propriedades: Contém grande porcentagem de sílica.
Usos: Pode ser usada para fazer jóias ou armas pequenas, apesar de sua baixa durabilidade, as lâminas são especialmente afiadas e perigosas.
Área: Locais de alta atividade vulcânica e com grandes quantidades de água.
Extração: Deve ser cortada com muito cuidado, sua poeira pode causar sangramento superficial. É mais resistente que vidro normal, porém ainda deve ser carregada com cuidado.
Poeira Estelar:

Descrição: Uma pó claro, semi-transparente e brilhante. Suas cores variam imensamente, o mais comum é o dourado e o mais raro é o vermelho-azul perolado.
Propriedades: Desconhecida. Material supostamente vindo de estrelas.
Usos: Crianças nobres usam para pintura. Ferreiros podem misturar com o metal ainda mole para aumentar imensamente a durabilidade de armaduras e quão afiadas as lâminas serão. Não tem há limite do quanto pode ser usado, porém haverá um momento onde apenas tocar no metal já irá cortar o objeto, deixando-a impossível de forjar.
Área: Locais extremamente altos, como montanhas e árvores freixo draco-angelical ou próximo de áreas de impacto de meteoritos.
Extração: Se não expostas ao calor, podem ser facilmente coletadas com a mão.
Sangue: Cerúleo Real:

Descrição: Fluído corporal encontrado na maioria dos seres vivos. Cerúleo Real é de crustáceos específicos.
Propriedades: Necessário para sobrevivência.
Usos: Pode ser usado para transfusão de sangue em humanos. Ferreiros misturam à água para quando resfriar o metal criar uma coloração levemente azulada, e também para consertar materiais com baixa quantia de cobre.
Área: Fundo do mar, em grandes crustacéos.
Extração: É possível usar uma seringa em um crustáceo vivo, mas a maneira mais fácil é caçando um dos animais necessários. Exemplos são: Siri Carmesim Régio contém o suficiente para um litro; Tamarutaca Suntuosa de Prestígio contém o suficiente para vinte e cinco litros; Tatuzinhos Dourados contém apenas dez mililitros mas podem ser encontrados em qualquer lugar de Inismore e Montaigne.
Tartaruga-Dragão:

Descrição: Uma espécie de tartaruga que nunca para de crescer, a média de adultos é de dez metros. Seu nome vem devido às protusões que seu casco tem e seu rosto parecido com os dragões dos contos de fadas. Também é capaz de atirar jatos de água quente para caçar. É geralmente desinteressada em humanos.
Propriedades:
Usos: Seu casco é até onde se sabe, indestrutível. Então podem ser usados para construção de armaduras, casas, móveis, e etc. É muito duro para forjar uma arma a partir dela e muito pesado para construção de navios.
Área: Cavernas subaquáticas. Raramente sobe à superfície para caçar.
Extração: Se tem apenas um relato de uma que foi morta, então considere impossível caçá-las. Partes do seu casco no entanto podem ser encontrados no solo marítimo, facilmente sendo confundido com pedras.
Era muita informação para absorver, mas se talvez pensasse em um plano, isso tudo poderia levar menos de duas semanas.

Ver perfil do usuário

em Sab 10 Mar 2018, 13:55

Era uma relativa surpresa a presença de uma estrutura tão magnânima para uma biblioteca pública, e tantos livros em fácil acesso, pensava que aquele lugar poderia vir-me a ser útil por outras vezes.

Enfim, agora de frente á mulher do qual Theobald se referia estaria a poucos momentos de obter os conhecimentos necessários para que começasse á busca. A mulher me guiava até o local, e não podia deixar de notar o comportamento enquanto andava, mas não era hora para tal então simplesmente continuei o trajeto.

Ela obtinha algumas dificuldades breves para obter o livro, mas após uma rápida busca por uma cadeira, este enfim estaria em minhas mãos. - Agradeço - Ditei, conforme esta voltava até sua mesa.

Encontrei a cadeira vaga mais próxima e apoiei o grande amontoado de páginas sobre a mesa, conforme enfim abri o livro. Não poderia escrever ou anotar naquele, então enfiei minha mão sobre o vão entre meu casaco e minha roupa, retirando de um dos bolsos do agasalho um caderno junto de uma pena - algo incomum dado minhas origens, mas me ensinado via minha madastra. - dei algumas rápidas folheadas para que alcançasse uma inutilizada, oque era fácil, já que não utilizava aquilo muitas vezes.

Minhas primeiras anotações foram as páginas de cada um dos materiais, evitando ter de abrir o índice á todo instante já que aquele livro era bem chato de se manusear. Então eu li cada uma das páginas, e redigi todas estas sobre o caderno; muito provavelmente precisaria consultá-lo muitas vezes em minha jornada. E conforme redigia, pude encontrar uma semelhança nas regiões que tais se encontravam; uma parte em locais vulcânicos e de intenso calor, locais estes que geralmente possuem uma montanha muito-alta e são inabitados, oque creio eu, facilitaria na aparição de freixos draco-angelicais. Os outros eram no fundo do mar, oque me alertava, pois eu não tinha dinheiro para alugar um barco que me levasse até os locais designados; aquele homem realmente não havia pegado leve.

Eu encostava meu punho destro sobre minha cabeça conforme a relaxava, batendo os dedos da mão esquerda em sincronia sobre a mesa conforme tentava procurar uma alternativa para tudo aquilo - precisava de um meio de transporte mais eficaz do que ir andando, já que não estava lá tão próximo do nordeste de Avalon. Precisava de equipamentos para extrair os materiais, tanto de proteção quanto de extração. Precisava de um barco, mas não tinha um e tampouco poderia alugar já que todas estas atividades necessitariam de dinheiro que eu não tinha. - E ainda há este Gelo Envenenado, o local nevado mais próximo que conheço é Ussura. - Raciocinei alto por uns breves momentos, conforme a força com que meus dedos batiam na mesa se intensificavam.

E enfim, eu havia cansado de andar em círculos; pus-me de pé no local conforme procurava por uma seção que tivesse itens para navegação, ou mais precisamente, mapas e livros sobre toda a ilha de Avalon. Eu queria saber desde quantos grãos de areia haviam em todo o litoral da ilha até quantos centímetros media o Monte Cymru; achado todos os itens que conseguisse encontrar e/ou portar levei-os de volta a mesa e comecei a ler.  



Informações procuradas nos Livros e Mapas sobre Avalon
- Presença de Vulcões, e onde exatamente se localizam. Ênfase para descrição de Vulcões com Rios, Lagos ou qualquer massa aquática próxima.
- Presença de Geleiras ou Cavernas de Gelo, até mesmo locais não necessariamente congelados por completo mas que estivesse no limite de temperatura para que se pudesse encontrar o Gelo Envenenado.
- Locais mais próximos de Ocorrência de presença de Tartaruga-Dragão. (Se houver em área litorânea, mas creio eu que não haja.)
- Locais mais Inabitados de Avalon.

Ver perfil do usuário

em Sab 10 Mar 2018, 14:04

Rolando Argúcia (2) e Observar (2)

Ver perfil do usuário

em Sab 10 Mar 2018, 14:04

O membro 'Corey A. Chase' realizou a seguinte ação: Rolar dados


'd10' : 7, 8, 7, 3

Ver perfil do usuário

em Ter 13 Mar 2018, 09:26

Depois de muito procurar, Hector encontra a localização dos lugares que queria.
Em Avalon não tinham nenhum vulcão ativo, o mais próximo disso seria o Thundering Mountain, que nunca foi um vulcão mas contém aberturas para cavernas com grande quantidade de magma. Porém, o Mount Cymru também possuí várias cavernas assim.
Em Eisen existem vários vulcões para o sul, mas para o norte dele foi possível encontrar dois vulcões. Um fica ao leste de Lierie, Diamantberg que é um cadeia de montanhas com um vulcão no centro, e o outro é Teufelskopf ao sul de Pösen.
Já em Vestenmennavenjar tem três vulcões, Boblende Güll, que fica a 150 milhas a oés-sudoeste de Thorshofn. Ashen-toppmøtet em Musteray, uma vila entre Vendel e Thorshofn. O último seria Fjellet Smeltetkjerne ao nordeste de Kirk. Todas os outros ficam muito ao leste para serem viáveis.

Gelo Envenenado é encontrado apenas em cavernas sub-aquáticas, existem centenas delas, porém sua entrada é difícil devido a profundidade. Mas em Avalon tem o Cobalt Sanctuary, uma caverna que supostamente começa em uma vila litorânea ao norte de Grinolet e desce para o norte até o fundo do oceano. É um ponto turistico, mas nenhum guia deixa os turistas descerem além do ponto de segurança.
Em Eisen, a única entrada é perto de Gottkirchen, mas não se tem muitas informações sobre ela.
Em Vestenmennavenjar não tem nenhuma caverna desse tipo, mas para o leste tem muitas geleiras.

As Tartarugas-Dragão são muito raramente vistas, porém durante o verão algumas pessoas vão até o sul do Mar da Troca para observar um ou duas delas passando por debaixo do navio. Apesar de ser um ato perigoso caso ela esteja com fome.
Mas nas praias de Kirkwall em Avalon e Dechaine em Eisen são os locais mais freqüentes para coleta de cascos de Tartaruga-Dragão.

Existem centenas de locais inabitados, quanto mais informações Hector buscava, mais locais ele encontrava, sendo impossível marcar todos. Entre as cidades no entanto sempre existia locais inabitados, se andasse de Donega à Dunkeen iria ficar sem ver qualquer tipo de civilização por horas.




Durante o resto da aventura, você pode me perguntar qualquer informação que tenha achado nos livros e eu lhe direi.

Ver perfil do usuário

em Ter 13 Mar 2018, 17:51

Conhecer aquelas informações não reduziam os problemas financeiros que tangiam a execução daquela missão, mas seriam fundamentais para meus próximos passos. - Oque posso fazer? - Tentava me focar naquela única e exclusiva pergunta, e conforme mais pensava nisto, mais a imagens de libras flutuando pelo ar parecia me afetar; libras aquelas que giravam incessantemente, até que pareciam mostrar a face de um homem - um rosto familiar, um rosto nobre - e, vendo seu rosto tive uma breve e questionável ideia de como prosseguir. Antes de ir embora, elaborei uma lista em meu caderno com tudo que precisaria para aquela missão.

Caderno :
- Picareta de Ferro
- Facão
- Uma carruagem com dois baús
- Vinte e Cinco Frascos de Plástico-Transparente
- Luvas e Máscara de Gás
- Equipamento de Escalada

Finalizada a lista, voltaria a recolher o caderno, minha pena e tudo que havia de pertence-pessoal na mesa; aqueles nativos do local foram devolvidos ás pressas, conforme rumava novamente ás badaladas ruas da cidade de Wandesborrow.

[...]

Após algum tempo caminhando, encontrava-me de frente com uma casa extremamente pomposa até mesmo para o padrão da ilha do glamour. Eu não podia deixar de notar que era mal-encarado pelas pessoas que por ali passavam, não era atoa, minhas vestes não eram das mais belas e eu não era lá tão bem cuidado com minha aparência. Aquela casa era de um de um de meus clientes, sua riqueza era indubitável mas suas intenções chegariam á atos extremamente questionáveis para que conseguisse seus objetivos; eu não aprovava e nem tinha afeto pelo homem, mas era meu empregador mais rico e influente. ''Toc Toc Toc'' ecoou a madeira da porta conforme eu a batia com a contra-parte de meu punho.



Sobre o Gelo Envenenado (considerando que li sobre tal), quanto tempo ele leva para derreter? Caso eu o coloque num frasco de plástico completamente selado, esse tempo aumenta? Se sim, pra quanto?

Ver perfil do usuário

em Sab 17 Mar 2018, 08:31

Hector entrava na parte rica da cidade, com casas grandes e bem arrumadas, reluzindo à luz do sol. E conforme andava, as casas ficavam ainda maiores, até chegar no ponto de estar na área de mansões.
Ele adentrava uma que tinha um grande cercado de buxo, alto o suficiente para servir de cerca mas também baixo o suficiente para que pudesse mostrar o imenso terreno. A entrada para o jardim era um arco de aço polido pintado de branco com um tartaranhão de asas abertas no topo dela. No meio do jardim que era apenas um gramado extenso com algumas árvores, da entrada até a porta da mansão tinha um caminho de pedras de mármore com uma pequena fonte circular no meio do caminho. À porta, aquela mansão alta e larga de três andares parecia um desenho pintada de branca com cortonos pretos.

Após bater na porta, você é atendido por um homem negro alto e bem vestido que te olha do alto como se estivesse olhando para uma criança. Você diz que gostaria de falar com o senhor Flloyd, o homem fecha a porta na sua cara e depois de uns instantes você ouve ao fundo uma voz que vai se aproximando:
Marqis, quantas vezes eu já falei pra ignorar vendedores!? e então a porta se abre com o homem olhando para trás e então se virando para a porta. Ele fica ligeiramente espantado e sem reação, então ele coloca a cabeça um pouco pra fora para checar se tinha alguém por perto e subitamente te puxa para dentro, trancando a porta logo atrás.

— O quê você está fazendo aqui!? — Um pouco mais baixo que Hector, com cabelos longos e ondulados e um rosto levemente infantil, porém as rugas em seu rosto diziam que ele tinha próximo dos 35 anos. Vestia um casaco com flores brancas e pretas nelas e uma grande gravata borboleta rosa claro — Eu falei que aquele era o último trabalho, tem idéia do problema que você está me trazendo ao vir aqui? O quê você quer?

Ele suspira fundo e se senta em uma poltrona um pouco mais para trás que ficava ao lado de um sofá para visitas. Ele fica curvado e apertava as têmporas em movimentos circulares esperando pelo seu antigo empregado pedir o que veio pedir.



- Sobre o Gelo Envenenado: Em um contâiner completamente fechado ele dura 48 horas (com risco de explosão), em um contâiner com saída de ar ele dura 24 horas, ao ar livre ele dura 6 horas, na água ele dura 30 minutos.

Ver perfil do usuário

em Sab 17 Mar 2018, 12:22

Huh, bom, este seria um problema muito mais seu do que meu. - Falei conforme o mesmo dizia sobre problemas; me sentia a vontade o suficiente para sentar-me sobre o sofá que jazia em suas proximidades procurando uma posição que valorizasse o conforto. - Você vive dizendo que os trabalhos que faço para ti serão os últimos, mas no fim há sempre uma pessoa nova me dizendo para lhe encontrar. - Retruquei.

Enfim, eu não vim implicar. Estou numa breve jornada para conseguir uma nova arma para mim, uma arma que não me deixe na mão, uma arma que acompanhe-me até o fim de meus tempos; e você deve saber que uma obra-prima não é barata. - Contei-lhe uma breve história conforme nem mesmo fazia lá muita questão de contato-visual, concentrando-me em apanhar o caderno e arrancar a folha que havia notado antes de sair da biblioteca. - Arranje-me estes itens e lhe farei um trabalho gratuitamente; deve saber o quão valioso um pedido pode ser. - Falei conforme estendia a folha até o mesmo e aguardava que a apanhasse.

Ver perfil do usuário
#14Conteúdo patrocinado 


Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]

Por favor, faça o login para responder

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum

 
Parceiros
 | Banner PRNR | Naruto Dimension |  | Gray Island |  |  |  |  |  |  |  |  |  | Bulba RPG |  | :: Topsites Zonkos - [Zks] :: |