Seven Seas

Seven Seas RPG, uma Terra em um universo paralelo no século XVII, a era de ouro da pirataria. Aventuras de capa e espada, batalhas navais e um mundo inteiro pra descobrir e explorar o aguardam.

Fale Conosco

Procurados
Procurados Seven Seas

Últimos assuntos
» Parceria com Hero Story RPG
Sex 06 Jul 2018, 15:15 por Eric-Nero

» [Aventura] Um novo começo
Sex 29 Jun 2018, 11:03 por OtakuFedido

» [Aventura] Tudo tem seu preço... A ser pago.
Qua 09 Maio 2018, 23:04 por Delara

» [Evento] Chegada ao deserto
Qua 02 Maio 2018, 09:45 por Hiruma

» [Aventura] A Escola de Feitiçaria Francis para Piratas.
Ter 10 Abr 2018, 13:11 por Francis Mc'Dowell

» [Ficha] Anne Bonny - Anne Bonny
Sex 06 Abr 2018, 08:07 por Teach

» O Barco Escravista
Qua 04 Abr 2018, 22:12 por Apolo

» [Tripulação] Bad Company
Ter 03 Abr 2018, 09:09 por Teach

» [Evento] Delegação de Persis
Sab 31 Mar 2018, 15:20 por Hiruma

Prêmios do Mês
Hiruma
Narrador
Eponine
Herói
Missão
Francis
Interpretação
Kristopher
Vilania
Staff Online

Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Por favor, faça o login para responder

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 3 de 5]

em Sex 23 Mar 2018, 12:14

- Aleksey, pode deixá-las aí por enquanto. Vamos ver se conseguimos colocar algumas frutas dentro delas. Carlos, me ajude aqui.
- Como quiser Drake.
Após isso, uma voz de fundo é ouvida "- Estas caixas estão vazias" em seguida, surge um homem do mato, com incríveis reflexos, Francis saca sua pistola e começa uma conversa que escuto atentamente.
-Ora, ora, parece que o motivo de estarem vazias paira defronte a nós...estou errada?

- Conhece ele Drake? Parece que ele estava vigiando seus mantimentos.

- Não o conheço Carlos, também não me surpreenderia se ele me conhecesse, afinal eu sou a referência aqui. Fale-me a respeito de você homem, e de sua estadia nesta ilha. Eu sou a Capitã Francis Drake e estes eram meus mantimentos.

- He He, não temas. Não é como se eu fosse lhe fazer andar na prancha ou algo do tipo, quero saber que tipo de ameaça representa ou que tipo de ajuda necessita. O que vocês acham rapazes? Estou equivocada?
- Não está, concordo completamente com seu ponto de vista, se realmente for alguém que não representa perigo, não vejo problema algum em ajuda, mas antes, quero saber o que aconteceu para acabar aqui e se há mais alguém que não se mostrou ainda.
Assobio muito alto, para chamar à atenção dos tripulantes que estavam no navio, para o que acontecia na praia. Ando até ficar ao lado de Drake.
- Recomendo que não tente nada contra nenhum de nós, se sobreviveu tanto tempo aqui, não foi tomando decisões idiotas e espero que não tome uma agora.

Ver perfil do usuário

em Sex 23 Mar 2018, 21:11

- Ora, ora, parece que o motivo de estarem vazias paira defronte a nós...estou errada? [Francis]
A menos que haja outro náufrago nesta ilha, creio que sim. - Mantive-me de cabeça erguida ainda que em sua mira, sabia que por mais que fosse uma pirata, não atiraria simplesmente num momento tão instantâneo assim.


- Não o conheço Carlos, também não me surpreenderia se ele me conhecesse, afinal eu sou a referência aqui. Fale-me a respeito de você homem, e de sua estadia nesta ilha. Eu sou a Capitã Francis Drake e estes eram meus mantimentos. [Francis]
Não seja por isto, donzela. - Falei abaixando meu tronco por inteiro á mesma, com o movimento de colocar minha mão livre sobre a região de meu coração e descer levemente a altura de meu corpo num geral. Embora fizesse um breve momento de descontração, sabia do perigo de mover-me, por isso á todo instante mantive o braço que portava minha espada inalterado para não provocar alarde - Hector di Duchkheim a seu dispor, e bem, se me permite dizer, lamento pelos mantimentos. Mas como deve ver pelo meu não tão belo estado físico, não estive aqui por escolha.

- He He, não temas. Não é como se eu fosse lhe fazer andar na prancha ou algo do tipo, quero saber que tipo de ameaça representa ou que tipo de ajuda necessita. O que vocês acham rapazes? Estou equivocada? [Francis]

- Não está, concordo completamente com seu ponto de vista, se realmente for alguém que não representa perigo, não vejo problema algum em ajuda, mas antes, quero saber o que aconteceu para acabar aqui e se há mais alguém que não se mostrou ainda. [Aleksey]
Hmn... Bem, como são piratas, não me importo de lhes contar a verdade. Trabalho em busca de me sustentar, afinal, o ouro move o mundo, para não enrolar, exerço a função de mercenário. Quando vim parar aqui, estava voltando de um serviço em Montaigne rumo á Avalon. A maré estava baixa, algo assim, não sou marinheiro, mas a parte de baixo do navio rasgou e lentamente ele se afundou. Um tumulto geral começou pelos botes, e lembro-me de ter desmaiado e acordado boiando num toco de madeira qualquer. Não havia mais ninguém por lá e havia sobrado um bote, creio eu que a ajuda havia passado por lá e haviam pensado que eu estava morto. - Contei-lhes a história. - Fiquei alguns dias á mercê da maré até avistar esta ilha e vir á todo vapor para cá, por sorte, havia recursos de sobrevivência por aqui. Estaria morto agora se não fossem estas caixas, mas agradeço ainda que me desculpando.




Ver perfil do usuário

em Sex 23 Mar 2018, 23:00

Enquanto estavam conversando Carlos dava uma analisada no naufrago e logo falava em voz bem baixa para Drake e Aleksey ouvirem.
Carlos-"Pelo estado dele ele deve ter ficado aqui mais ou menos uns 12 dias nessa ilha, consumiu todos os recursos das caixas e só de olhar da pra ver que esta bem desidratado, mesmo se ele tente aprontar algo contra nós não duraria muito. Me pergunto: O que a capitã ira decidir sobre o jovem rapaz ?

Carlos ouvia o rapaz contar sua historia, então falava:
Carlos -"Uma sorte no azar ein? O navio naufraga, você tem o azar de não te resgatarem mas a sorte de cair nesta ilha e ainda achar mantimentos. Muito bom... teve muita sorte de ainda estar vivo.

Ver perfil do usuário

em Sab 24 Mar 2018, 17:30

- És esperto Aleksey, sabeis quando deve concordar comigo. E admito que ter você por perto nos passa uma sensação maior de segurança...sabe? maior? kyakakaka. [Francis]

Suas piadas eram terríveis, de fato. Porém só demonstravam que ela não se sentia tão ameaçada assim. Não demorou para que os outros dois tripulantes viessem correndo para perto dela - já armados.

- Suas análises me são importantes Carlos, você possui conhecimento acerca do corpo humano tal como ninguém em meu navio possui, nem mesmo eu. Se está a me dizer que ele apresenta sintomas de desidratação eu acredito. [Francis]

A Capitã fez sinal para que os homens baixassem suas armas enquanto ela fazia o mesmo. Esperava que o homem à sua frente compreendesse e a imitasse, "sem armas" durante a conversa.

- Acalmem-sem. Estamos diante de um náufrago, que por sorte ou azar do destino, encontrou nossos mantimentos. Você possui uma dívida comigo rapaz...e eu irei cobrá-la. O que acha de vir conosco enquanto trabalha para pagar nossos suprimentos e recebe alguns cuidados médicos? É claro que se tentar algo contra qualquer um terá a devida punição. Não irei subestimá-lo e peço que não o faça com nenhum de nós...contudo preciso que passe por alguns..."testes" para embarcar conosco. D'accord? [Francis]

Drake se encaminhou de volta para o navio.

- Homens, temos um novo convidado entre nós. Preparem a iniciação! [Francis]
- Aleksey, Carlos, vocês também devem preparar os seus testes, pois agora são membros de nossa tripulação. Devido à nossa atual situação teremos que aportar em outra ilha mais a frente, precisamos urgentemente de mantimentos e umas boas moedas. Vamos! [Francis]

Ver perfil do usuário

em Sab 24 Mar 2018, 21:18

- És esperto Aleksey, sabeis quando deve concordar comigo. E admito que ter você por perto nos passa uma sensação maior de segurança...sabe? maior? kyakakaka.
Demoro alguns segundos pra entender trocadilho, assim que entendo bufo, perdendo a compostura séria que eu mantinha, pigarreio para tentar recobrá-la.
- Essa foi boa, nunca pensei que você teria tal senso de humor.
Carlos se aproximava e falava bem baixo conosco
Pelo estado dele ele deve ter ficado aqui mais ou menos uns 12 dias nessa ilha, consumiu todos os recursos das caixas e só de olhar da pra ver que esta bem desidratado, mesmo se ele tente aprontar algo contra nós não duraria muito. Me pergunto: O que a capitã ira decidir sobre o jovem rapaz ?
- Sobre suas analizes, só posso concordar, pois, entre nós você é a pessoas com mais conhecimento sobre o corpo humano e isso não há como negar.
Após os tripulantes que desceram conosco na ilha se aproximarem, ela faz um gesto e volta a falar.
- Acalmem-sem. Estamos diante de um náufrago, que por sorte ou azar do destino, encontrou nossos mantimentos. Você possui uma dívida comigo rapaz...e eu irei cobrá-la. O que acha de vir conosco enquanto trabalha para pagar nossos suprimentos e recebe alguns cuidados médicos? É claro que se tentar algo contra qualquer um terá a devida punição. Não irei subestimá-lo e peço que não o faça com nenhum de nós...contudo preciso que passe por alguns..."testes" para embarcar conosco. D'accord?
- Acho que você não tentará nada, pois, se tentar, a prancha lhe espera e creio que você não gostaria de ficar a deriva novamente.
Dentro do navio
- Homens, temos um novo convidado entre nós. Preparem a iniciação!
- Aleksey, Carlos, vocês também devem preparar os seus testes, pois agora são membros de nossa tripulação. Devido à nossa atual situação teremos que aportar em outra ilha mais a frente, precisamos urgentemente de mantimentos e umas boas moedas. Vamos!
- Como desejar, pensarei em algo.

Ver perfil do usuário

em Sab 24 Mar 2018, 21:42

- És esperto Aleksey, sabeis quando deve concordar comigo. E admito que ter você por perto nos passa uma sensação maior de segurança...sabe? maior? kyakakaka. [Francis]

- Essa foi boa, nunca pensei que você teria tal senso de humor. [Aleksey]
Como comediante és uma incrível navegadora, milady. - Brinquei conforme abria um leve sorriso dada a brincadeira; por mais que estivesse numa situação que, normalmente me seria desconfortável, sentia como se aquelas pessoas não fossem inimigas - longe disto.

A Capitã fez sinal para que os homens baixassem suas armas enquanto ela fazia o mesmo. Esperava que o homem à sua frente compreendesse e a imitasse, "sem armas" durante a conversa. [Francis]
Diante de seu ato, pude olhar brevemente em seus olhos como se esperasse algo de mim - e não demoraria muito para que captasse sua intenção. A espada trespassou por minhas mãos em instantes, girando até que encontrasse a posição perfeita para entrar em sua bainha - o ato era proposital, gostaria de me exibir á tripulação.

- Acalmem-sem. Estamos diante de um náufrago, que por sorte ou azar do destino, encontrou nossos mantimentos. Você possui uma dívida comigo rapaz...e eu irei cobrá-la. O que acha de vir conosco enquanto trabalha para pagar nossos suprimentos e recebe alguns cuidados médicos? É claro que se tentar algo contra qualquer um terá a devida punição. Não irei subestimá-lo e peço que não o faça com nenhum de nós...contudo preciso que passe por alguns..."testes" para embarcar conosco. D'accord? [Francis]
Não precisa se preocupar, não iria causar problemas de qualquer forma, estou apreensivo de a qualquer momento receber um soco do Mr. Músculos. E sobre a proposta, bem, aviso-lhe que não tenho experiência marítima alguma, tudo que tenho são minhas capacidades de Duelista. Mas se ainda assim me desejar na tripulação, estaria mais que feliz de fazer parte. Aliás, estou ansioso por tais testes. - Adverti-a de minhas incapacidades para que dentro de uma tripulação, embora igualmente expunha minha grande qualidade - as capacidades com a espada, e consequentemente, o fato de dominar a arte do duelo.

Ver perfil do usuário

em Sab 24 Mar 2018, 22:14

Ao ouvir a piada de Drake , Carlos perdia um pouco de sua compostura e deixava escapar uma risada.

Logo a Capitã Drake falava:
Acalmem-sem. Estamos diante de um náufrago, que por sorte ou azar do destino, encontrou nossos mantimentos. Você possui uma dívida comigo rapaz...e eu irei cobrá-la. O que acha de vir conosco enquanto trabalha para pagar nossos suprimentos e recebe alguns cuidados médicos? É claro que se tentar algo contra qualquer um terá a devida punição. Não irei subestimá-lo e peço que não o faça com nenhum de nós...contudo preciso que passe por alguns..."testes" para embarcar conosco. D'accord?
Carlos -"Daqui mesmo posso ver alguns cortes e arranhões, nada muito grave.

Então a Capitã nos chama para dentro do navio e la dentro ela diz:
Aleksey, Carlos, vocês também devem preparar os seus testes, pois agora são membros de nossa tripulação...
Carlos -"Muito bem, pensarei em algo.

Ver perfil do usuário

em Dom 25 Mar 2018, 01:11

Alguma parte sã de seu ser sabia o quão ruins suas piadas eram, embora fosse uma conquista conseguir arrancar sorrisos alheios com suas palavras, por mais bobas que fossem. Francis tinha um bom coração.

- Meu senso de humor aparece quando as oportunidades surgem! [Francis]
Respondeu a Aleksey rindo em um tom um pouco mais alto, tornando a ficar em silêncio quando o ouvia "ameaçar" o novo convidado, nada mais justo nessa vida de Pirata.
- Pense e na hora do teste diga a pergunta que vier a sua mente. O que acha ser necessário para confiar em alguém? Que tipo de resposta lhe traria a confiança de uma pessoa? [Francis]
A capitã direcionou o olhar a este para tentar expressar melhor o quão importante eram esses "testes". Como os antigos diziam, "um olhar vale mais do que mil palavras".

- Carlos, você também tem um bom senso de humor, não é? Gosto disso! Aliás, temos que reservar um tempo para conhecê-lo melhor, propriamente dizendo, refiro-me a retirada de sua máscara. Entendeis que isso é um ato necessário certo? [Francis]
Drake o indagava e esperava uma resposta em retorno.
- Digo-te o mesmo que falei para Aleksey, baseado numa resposta falada, o que lhe faria confiar em alguém? Pense nisso! [Francis]
Em seguida Drake se aproximou mais do novo "tripulante".

- Hector. Certo, Hector. [Francis]
Ela retomou a compostura.
- Se acreditas que sou uma incrível navegadora é porque não me viu em ação. Incrível é uma palavra de baixo nível para o que consigo fazer. [Francis]
Ao finalizar a frase ela mantinha o rosto erguido, indicando o orgulho que tinha de suas habilidades.
- Agora como comediante...talvez existam melhores do que eu. Ha ha; Você parece ter certa maestria com essa espada, onde aprendeu? E também, sua experiência marítima não é necessária por enquanto, tenho homens habilidosos em meu navio, além de é claro, eu mesma.[ Francis]
- E MULHERES!!!! CARAL** CAPITÃ. NÃO ESQUEÇA DE NÓS. [Morgana]
A mulher gritava de uma certa distância. 
- Isso, e mulheres. No entanto precisamos de habilidades distintas e específicas, para que cada um supra uma necessidade. Se são riquezas o que busca digo que as terá...O que nós buscamos é nossa liberdade e lealdade. Morgana irá te auxiliar, junto de Carlos. [Francis]
- Não vejo problemas. É este bonitão que tenho que alimentar? Só espero que não enjoe com o movimento do navio, não limpo sujeiras de ninguém. Venham comigo, vamos lá para baixo. [Morgana]
- Ahn...[Morrigan]
A outra aparecia um tanto mais introspectiva.
- Será que também posso ir? Gostaria de observar os tratamentos que serão aplicados...[Morrigan]
As duas olhavam para Carlos, aguardando sua resposta.

Em contrapartida Drake se direcionava ao Timão do navio, dava para perceber algo diferente em sua expressão. Talvez fosse cansaço? Preocupação? Estaria ela...perdida?!

Ver perfil do usuário

em Dom 25 Mar 2018, 03:07

- Agradeço o apelido, mas não me serve tão bem, pois, há um bem maior, mais forte e experiente na tripulação do que eu, ele sim merece ser chamado de Mr. Músculos. Só lhe darei um soco se fizer por merecer.
Em seguida Drake se aproxima e me dava algumas dicas,de como, eu deveria agir na hora do teste.
- Obrigado pela ajuda, agora já tenho algo em mente, só tenho que lapidar um pouco mais pra formular uma boa pergunta para testar o "convidado".
Logo depois ela anda até Carlos, talvez para ajudá-lo a se preparar para o teste, assim que termina, se dirige para falar com Hector.
- Creio que não há assuntos para se tratar comigo por hora, sendo assim vou me sentar para terminar de pensar em que pergunta farei.
Pego uma cadeira, levo para perto do timão, era possível observar praticamente todo o novio. A conversa da capitã com o novo "tripulante", durante a conversa algo deve ter acontecido, pois, Mornaga gritava
- E MULHERES!!!! CARAL** CAPITÃ. NÃO ESQUEÇA DE NÓS.
, Mesmo sem entender o que a levou a isso, acabo soltando uma risada ao a ver perdendo as estribeiras. Assim que a conversa acaba, caminha até o timão para assumir seu posto, ela parecia diferente, talvez os ocorridos simultâneos tenham o feito algo, observando isso, decido me aproximar.
- Capitã, algo lhe aflige? Você parece diferente de quando tivemos o nosso primeiro contato naquele bar, se quiser conversar sobre o que está sentido, sou todo ouvidos. Não sou muito bom com as palavras, coisa que você deve ser, mas como posso dizer ... Se for de seu agrado, seria um prazer ser seu braço direito, já que sua canhota não podeis ser, pois, nunca conseguiria fazer com a minha metade do que faz com a sua. O que estou tentando dizer com isso é que, sempre estarei ao seu lado independentemente das circunstâncias, para o que der e vier.
Pego a cadeira na qual estava sentado, coloco à sua direta, me sento e aguardo uma resposta enquanto a admiro

Ver perfil do usuário

em Dom 25 Mar 2018, 11:41

- Se acreditas que sou uma incrível navegadora é porque não me viu em ação. Incrível é uma palavra de baixo nível para o que consigo fazer. [Francis]
Heh, estou ansioso para vê-la em ação, Drake. - Dirigi-me á mulher a partir de seu nome, já que o mesmo era aplicado sobre mim. Um breve sorriso abria em meu rosto, aquela história parecia encaminhar-se para um final ''feliz''.


- Agora como comediante...talvez existam melhores do que eu. Ha ha; Você parece ter certa maestria com essa espada, onde aprendeu? E também, sua experiência marítima não é necessária por enquanto, tenho homens habilidosos em meu navio, além de é claro, eu mesma. [Francis]
É uma longa história, mas se posso resumir, minha madrasta era uma duelista e consequentemente eu igualmente me tornei um... Porém, não da pra sobreviver apenas com duelos nos dias de hoje. - Expliquei á mesma quando tocado o assunto de minha espada. - É um alívio saber disto. - Citei ao ver que minhas habilidades como marinheiro não eram necessárias.

- Isso, e mulheres. No entanto precisamos de habilidades distintas e específicas, para que cada um supra uma necessidade. Se são riquezas o que busca digo que as terá...O que nós buscamos é nossa liberdade e lealdade. Morgana irá te auxiliar, junto de Carlos. [Francis]
Heh, de fato, sempre ouvi que a vida de um pirata se resume á riqueza e mulheres... Talvez nunca houvesse ido por este caminho dada minha terrível mira e os riscos que representava. Mas agora posso ver que quem não arrisca, não petisca. - Citei no momento em que riquezas me foram prometidas. - Não se preocupe, pois minha espada não trai. E, bem, estou em suas mãos Carlos. - Citei no momento em que me citava a lealdade e logo após mandava-me ir em conjunto com algumas pessoas.

- Não vejo problemas. É este bonitão que tenho que alimentar? Só espero que não enjoe com o movimento do navio, não limpo sujeiras de ninguém. Venham comigo, vamos lá para baixo. [Morgana]
Também és linda milady, e não preocupe-te, pois meu estômago é de ferro. - Embora fosse obviamente confidente de si, era realmente verdade a parte que tangia á meu estômago - não seria necessário preocupar-se com tal. E conforme estes se afastassem, igualmente o faria - se de fato o fizessem.




Ver perfil do usuário

em Dom 25 Mar 2018, 19:52

Logo após um momento de risadas a capitã se aproximava de min e falava
Aliás, temos que reservar um tempo para conhecê-lo melhor, propriamente dizendo, refiro-me a retirada de sua máscara. Entendeis que isso é um ato necessário certo?
Carlos -"Sem problemas já falei que não tenho nada a esconder.

Carlos ficava atento ouvindo a capitã falando com Hector o naufrago quando de repente ele escuta um grito:
- E MULHERES!!!! CARAL** CAPITÃ. NÃO ESQUEÇA DE NÓS. [Morgana]
A principio tomava um susto, não sabia exatamente oque estava acontecendo, mas logo retomava sua compostura.

Duas garotas queriam acompanhar o Hector para ver os tratamentos que seriam aplicados, as duas olhavam para min esperando uma resposta e eu logo falo:
Carlos -"Claro que podem me acompanhar, ninguém recusa uma mão amiga para ajudar no trabalho.

Logo Hector falava
E, bem, estou em suas mãos Carlos
Carlos -"Muito bem, estamos pontos ? então vamos. Damas podem nos guiar até um quarto onde Hector possa ficar ? Mas antes acho melhor ele tomar um banho antes.

Ver perfil do usuário

em Seg 26 Mar 2018, 13:32


Antes que Hector fosse adiante dom os demais, a Capitã lhe dava uns tapas nas costas em sinal de camaradagem.

- Verás, com toda certeza verás! [Francis]
- Não sou uma duelista, mas sei usar bem minhas armas. É bom ter mais alguém que saiba manejar espadas. [Francis]
- Assim espero ver. Mas não se engane, nem só de riquezas e mulheres viverá o homem, ou melhor dizendo, o Pirata. Tenho objetivos que vão muito além disso. [Francis]

- Carlos, quando terminares seus serviços podemos fazer a devida "cerimônia" e assim nos conheceremos. Proteja-se e proteja minhas meninas, se necessário providencie máscaras a elas também, sim? [Francis]

Depois que saíram,  Francis admitia para si mesma que algo a incomodava, não gostava de externalizar tais sentimentos para não desmotivar a tripulação ou deixá-los preocupados. Contudo, naquele momento estava mais do que visível o que se passava com ela, tanto que não demorou para Aleksey notar. Ela o encarou e sorriu.

- Eu agradeço meu caro, só estou pensativa em relação ao nosso próximo destino. Mesmo nossos laços sendo tão fortes eu preciso prover de acordo com suas necessidades, preciso de recursos...e de dinheiro. Piratas precisam de rum, de comida, precisam gastar em apostas e brigas estúpidas...[Francis]

A mulher suspirou profundamente, como se deixasse escapar junto ao ar suas preocupações. Girou o timão a boreste (direita) e com uma das mãos retirou de dentro do casaco uma pequena garrafa.

- Você bebe? Espero que sim, porque todos nós o fazemos em algum momento aqui. Quanto a sua lealdade...me é importante receber esse tipo de retorno de vocês, pois sei que estou no caminho certo. Se queres ser minha destra, que assim seja. Prove teu valor a nós e provaremos o nosso a você. Beba, Aleksey de Ussura. [Francis]

Drake bebeu duas goladas e uma vez e depois levou a garrafa até ele; os demais tripulantes estavam espalhados pelo navio, ocupados com certas tarefas ou descansando. Havia sempre uma troca de "turnos" para os afazeres, assim as atividades eram distribuídas igualmente.


>> Nos confins do navio...

- Eu sei que sou, acho que adquiri algumas características de narcisismo com a Capitã Drake, heh. [Morgana]
- Irmã! [Morrigan]
- O quê? Vai negar? Você não pode negar, é quase como um espelho meu e você é linda. [Morgana]
-...obrigada...[Morrigan]
- Banho certo? Disse que era melhor ele se lavar antes de qualquer coisa? [Morgana]
- Hmmm....nesse caso acho melhor você ficar aqui com o Doutor, deixa que eu levo ele até o lavadouro. Sigh...já está me dando trabalho demais, espero que me compense por isso depois. Venha comigo. [Morgana]
- Doutor Carlos? Posso saber o que pretende fazer com ele? Vai suturar seus cortes ou não é necessário? Vai limpar suas feridas? Injetar algo em suas veias? [Morrigan]

A mais nova estava curiosa de fato, era possível perceber o seu alto interesse no assunto. A outra por sua vez, fazia seu trabalho com presteza, apesar das reclamações, estas as quais eram mais presentes por pura implicância. Morrigan aguardou as respostas de Carlos a medida que arrumava toalhas limpas e bacias com água potável. Morgana levava Hector até um cômodo um pouco mais apertado, este possuía um lavadouro, alguns baldes no chão e um ralo por onde a água escorria. Dois pedaços de sabonete estavam arrumados em algum lugar ali perto.
- Esse aqui é das mulheres e aquele ali dos homens. Se usar o nosso eu saberei. As toalhas não ficam aqui porque se não vocês fazem uma bagunça que só, molham todas elas. Eu vou ficar aqui do lado de fora, quando terminar me avise e eu lhe trago uma. [Morgana]

Ver perfil do usuário

em Seg 26 Mar 2018, 18:27

Ela sorria e falava das suas coisas que lhe incomodavam e obrigações como capitã
- Não preciso de muito para suprir minhas necessidades, ter crescido de maneira humilde me faz valorizar tudo que tenho, sejam pessoas ou coisas matérias, desde que tenha o que comer e onde descansar, estarei satisfeito e feliz com isso. Não sou de beber muito, ainda mais rum algo que raramente é servido de onde vim, mas se você permitir, eu gostaria de fazer a bebida de minha terra natal, não é complicado e não gastará muitas coisas, apenas: pão, água e frutas, podemos usar até os próprios barris de rum para deixá-la mais forte.Não sou de apostar, até porque, desde que comecei essa vida nova percebo a importância do dinheiro, em Ussura os que ligam pra isso são apenas os nobres, pessoas de uma classe mais baixa como eu, prefiriam trocar as colheitas por outras coisas do que vender, pois, não havia tanto uso pro dinheiro quanto aqui, grandes comércios ficavam apenas na capital e grandes cidades, diferente daqui ou Vesten, porque pra todo lado que olho há lojas, talvez não ter neve até os joelhos facilite isso hehehe. Espero que essa parte das brigas idiotas não, seja algo pra mim, não costumo arrumar confusão por aí sem motivo, mas, se algo acontecer com vocês, serei o primeiro a reagir.
Ela suspirava, aparentando estar mais tranquila, em seguida, tira uma garrafa de seu casaco e antes de beber falava comigo.
- Sim, mas, não o que vocês devem beber, fico entre: kvas, hidromel, cerveja e vinho.Obrigado pela honra de me considerar sua destra, pode crer que provarei meu valor para todos.
Assim que respondo, ela virava a garrafa dando duas goladas e depois passava a garrafa para mim. Sem fazer desfeita, repito o mesmo, a bebida descia queimando minha garganta, após tirar a garrafa da boca suspiro, rapidamente o álcool começa a circular pelo meu corpo, deixando meu rosto corado, algo comum no meu povo depois tomarmos algumas doses
- É bem, bem mais forte do que eu esperava, mas cedo ou tarde devo me acostumar com isso.
Após isso devolvo a garrafa e fico observando-a

Ver perfil do usuário

em Ter 27 Mar 2018, 14:15

Hmn, tem certeza de que quer esperar do lado de fora? - Falei á mulher, conforme retirava algumas mechas que haviam em seu rosto e colocavam-nas a escanteio, observando-a olho com olho. Após alguns breves momentos sorrindo á mesma, soltei uma breve gargalhada. - Estou brincando.

E após o breve momento, adentrei ao lavadouro.

[...]

Não levaria muitos minutos até que enfim terminasse o banho, finalizado os afazeres, abria uma breve brecha na porta conforme punha o braço á fora esperando que a mulher o notasse e trouxesse a toalha.

Ver perfil do usuário

em Ter 27 Mar 2018, 16:59

Carlos escutava alguns murmúrios de Morgana para levar o Hector até o lavadouro.
Carlos -"Acredite vai ser melhor assim, espero que cobre sua divida bem dele então hahaha!
Após Morgana e Hector saírem da sala Morrigan curiosa logo questionou
- Doutor Carlos? Posso saber o que pretende fazer com ele? Vai suturar seus cortes ou não é necessário? Vai limpar suas feridas? Injetar algo em suas veias? [Morrigan]
Eu então logo pegava algumas ferramentas e outras coisas da minha bolsa de couro que fica dependurada em minha cintura e começava a falar para Morrigan
Carlos -"Ainda não sei bem pedi para ele tomar um banho para poder analisar melhor se ele vai precisar ser remendado ou não..
Logo eu colocava um tecido limpo de Lã estirado para começar a arrumar meus aparatos e outros reagentes enquanto pacientemente esperava pela volta de Hector para começar os tratamentos

Ver perfil do usuário

em Qua 28 Mar 2018, 13:39

- Em algum momento de sua vida precisarás, eventualmente é o que acontece a todos nós. De qualquer modo fico feliz que se contente com isso por enquanto, aqui temos um teto, o que comer e algumas regalias provenientes de nossas conquistas; Quanto a bebida de sua terra natal, fique a vontade. No entanto terás que conversar com Brigit e Bedivere sobre isso, eles tomam conta da cozinha geralmente, não acho que verão problema nisso; Devia apostar mais, é divertido! Nossa queda de braço foi uma aposta...que inclusive perdi. Terei minha revanche até conseguir vitória; Quando o álcool faz efeito não controlamos nossos impulsos, até eu já arrumei brigas por aí...[Francis]

Drake prestava atenção em cada detalhe das reações dele, percebendo assim que seu suspirar caracterizava alguém que não estava acostumado a esse tipo de bebida, confirmando em seguida com o rosar de suas bochechas. Ela gargalhou, um tanto mais alto.

- Kyakakaka. Podeis ser forte nos músculos, mas não aguenta um Rum? Tens muito a aprender sobre a vida de pirata! Beba mais um pouco e deixe que termino, irei poupar-lhe do trabalho. Afinal de contas, não é atoa que ocupo o posto de melhor Capitã. [Francis]


>> Nos confins do navio...
Morgana não vacilou em sua postura ou o respondeu, se mantinha firme e com o olhar de alguém que iria aprontar muito em breve. Deu de ombros quando Hector finalizou sua frase e gargalhou, exibindo um sorriso que se escondia atrás das madeixas. Tempos depois viu o sinal do rapaz e foi buscar a toalha para o mesmo, entende-se por toalha um pedaço de tecido costurado com alguns remendos e que tinha uma alta capacidade de absorção.
- Aqui está. [Morgana]
Ela estendia o braço de volta com a toalha, sendo que sua distância para a dele era muito maior do que conseguiria alcançar, forçando-o a deixar o pequeno cômodo - se assim mordesse a "isca".


Morrigan tentava conter suas perguntas e suas reações "exageradas", porém ao ver sua bolsa com os instrumentos teve seus olhos repletos de brilhos.
- O que são esses? [Morrigan]
- Hm...eu já tive de remendar algumas pessoas aqui, acredito ter feito certo porque não infeccionaram...os homens gostam de disputar e brigar, a Capitã não é muito diferente disso...ela e Brigit já tiveram uma briga de punhos, minha irmã já ficou bêbada o suficiente para escorregar e bater a cabeça...e ahn...vários casos. Se precisar de algo eu posso ajudá-lo. [Morrigan]
Pois bem, não se conteve e assim prosseguiu com seus questionamentos. Um fator curioso é que ela parecia estar mais a vontade conforme o tempo passava, talvez pelo fato de que o assunto era se deu interesse.

Ver perfil do usuário

em Qua 28 Mar 2018, 20:05

- Falarei com eles sobre isso, parece que nossas visões do que são apostas são diferentes, para mim se não, há quaisquer bem material envolvido não é uma aposta e sim apenas uma competição qualquer. Algo bem comum na minha terra natal, serviam de passatempo, pois, não se da pra fazer muita com neve cobrindo tudo a maior parte do tempo. Aguardo sua revanche e quando vencer, será a minha vez de tê-la. Não estou nem um pouco acostumado com essa vida, mas pelo menos estou ao lado da melhor capitã e por sua vez a melhor para me ensinar sobre isso.
Ela estendia a mão novamente com a garrafa, pedindo que eu bebesse mais um pouco, dou mais duas goladas, suspiro mais forte que na última vez e devolvo a garrafa
- Acho que esse é meu limite no momento.
Meu rosto ficava mais corado por causa da bebida

Ver perfil do usuário

em Qua 28 Mar 2018, 20:56

Era um golpe-baixo, e eu admito que não esperava aquilo - mas podia notar no mesmo momento que aquela garota era forte, e parecia querer devolver na mesma moeda a situação em que a pus, a questão era que eu também era um tanto quanto competitivo. Ao ser puxado e momentos antes de ser revelado, repito o ato da mulher - não para resistir, mas para atraí-la até mim.

Mas eu não era um pervertido estuprador, então fiz questão de que quando próximo o suficiente, levasse minha mão á cintura da mulher para evitar o contato indesejado com aquilo e parasse seu movimento. - Eu não olharia para baixo se fosse você... - Abri um breve sorriso tanto vergonhoso quanto, de fato, risonho. - Entregue-me a toalha ou eu te dou um beijo. - E dentre as opções, eu pensava saber qual seria a que ela escolheria. Agora que em posse da toalha, evitei afastar-me conforme a enrolava sobre minha cintura sem nem mesmo fazer questão de me secar. - Entrar no lavadouro é golpe sujo. - Falei conforme voltava ao cômodo.

[...]

Seria uma questão de pouquíssimos minutos até que eu estivesse do lado de fora novamente, com a toalha sobre meus ombros e portando minha samba-canção. - Podemos ir? - Falei conforme, caso nenhum empecilho ocorresse em todos os atos anteriores e/ou fosse consultado pela mulher, partia rumo ao doutor.

Chegando no cômodo em que se encontravam, anunciei-me. - Estou pronto, ''Carlos'' (?) - Falei em certo tom de dúvida, pela parte que tocava o nome do homem.




Fiz o post meio ás pressas porq tava loco pra jogar FIFA no momento. Vou rolar Vigor e Briga pra parte de puxar ela de volta, não sei se é necessário, então na dúvida é melhor ter né?
Eu meio que rushei neste post pra partir direto ao Carlos e não demorar tanto para todo mundo o desenrolar da aventura.

Roll: Vigor (3) + Briga (2) + Perícia Ímpar (1) = 6 dados.


Ver perfil do usuário

em Qua 28 Mar 2018, 20:56

O membro 'Corey A. Chase' realizou a seguinte ação: Rolar dados


'd10' : 6, 2, 9, 7, 3, 8

Ver perfil do usuário

em Qui 29 Mar 2018, 16:03

Enquanto ainda tirava algumas ferramentas de minha bolsa Morrigan peguntava
- O que são esses?
Carlos -"Só estou preparando alguns instrumentos caso Hector esteja com algum corte infeccionado.
Morrigan então me contava como era ela que geralmente cuidava da parte médica de sua tripulação
Carlos -"Que bom saber que você já tem experiencia então, fique sabendo que se eu precisar de ajuda vou contar com você!
Enquanto Eu e Morrigan conversávamos logo alguém abria a porta de onde estamos e falava
Estou pronto, ''Carlos''?
Carlos -"Ah, você chegou ! Entre entre estávamos esperando por você! Sim me chamo Carlos. Se não me engano você se apresentou como Hector la fora, correto ? Prazer em conhecer.
Carlos então estendia a sua mão a uma cama indicando para Hector se sentar ali para que poça ser avaliado.

Ver perfil do usuário

em Sex 30 Mar 2018, 20:04

- Yare, Yare Daze. Aleksey-kun fale com eles siiiiim. Apostas são melhores ainda quando há tesouros envolvidos no meio ou quando é nossa honra que está em jogo. Tenho de devolver-lhe na mesma moeda, vamos disputar de novo! Albionnnn-san guie Nimue para mim por favor, tenho algo importante a fazer. Aleksey de Ussura você é meu oponente. Yare. Venha. Vamos lá. Eu irei vencer desta vez, estou confiante. [Francis]
A Capitã aparentava estar um pouco alterada em sua voz e em suas ações, talvez pelo fato de ter virado uma garrafa quase inteira de Rum, ela não tinha a melhor das resistências para aguentar bebida. O rubor em suas bochechas comprovava isso. Drake deixou a garrafa no chão e ergueu o braço para o rapaz, dando conta do quão maior ele era, estendendo o braço acima de sua cabeça.
- Você tem que abaixar um pouco. [Francis]
Para tentar remediar ela também levantava um pouco seus pés. E sim, Francis tentava disputar uma queda de braços em pé, desconcertantemente.

>> Nos confins do navio...
Morgana foi pega desprevenida e com isso não conseguiu sequer revidar, não teve forças para se manter distante do modo que fora envolvida. Ainda assim era não era uma situação que lhe colocava em maus lençóis - muito pelo contrário - aproveitou a deixa e deu um passo a frente, enfrentando-o.
- Há algum problema se eu olhar para baixo? [Morgana] 
E assim o fez, corando levemente em seguida. 
- Tome a toalha, talvez tenha mais serventia a você do que o método que eu iria sugerir para secar-se. Parece-me que não é esperto o suficiente, uma pena. [Morgana]
As palavras foram proferidas face a face com o rapaz, queria instigá-lo o máximo que podia para enfim deixá-lo, retornando a sala onde estavam os outros dois.
Morrigan por sua vez assistia atentamente aos procedimentos que viriam, complementando o discurso com mais algumas palavras.
- Doutor Carlos, há algo que pedi à Capitã Drake alguns meses atrás e ela me prometeu conseguir. Se possível eu gostaria de sua ajuda para saber se isso seria mesmo realidade ou não...então depois que terminar aqui se importa de conversarmos em particular? [Morrigan]



Última edição por Francis Mc'Dowell em Dom 01 Abr 2018, 03:11, editado 1 vez(es)

Ver perfil do usuário

em Sab 31 Mar 2018, 00:01

-Concordo com você em relação de apostar para defender a honra, sobre apostar com tesouros, talvez me acostume passando mais tempo com você senpai. Se disputar é o quer, é o que terá.
Assim que me levanto, começo a cambalear por causa da bebida que ingerimos.Ela levanta seu braço e pedia que me abaixasse um pouco, estava um pouco confuso sobre o tipo de competição que seria, até que toma uma posição do quem queria realizar uma queda de braço, mesmo sem mesa. Eu seguro e me abaixo um pouco para ficar mais ou menos na sua altura, ao fazer isso perco meu equilíbrio que já não estava muito bom, acabo caindo e puxando Francis comigo, que cai sobre mim. Estando tão perto um do outro reparo no rubor em seu rosto.
- Parece que não sou mais o único com o rosto corado, pelo menos combina com o rosa de seus cabelos.
Arrumo uma mecha de seu cabelo, que estava cobrindo parte de seu rosto, colocando-a atrás de sua orelha. Meu coração batia mais forte por estar tão perto dela, observo-a por alguns instantes antes de falar.
- Senpai, vou precisar de sua ajuda, a bebida se provou mais forte do que eu imaginava, ela tirou as forças das minhas pernas e desculpe-me por ter te derrubado, espero não ter te machucado.

Ver perfil do usuário

em Dom 01 Abr 2018, 03:23

-Nani...? Então você também fala outras línguas? Omoshiroi. [Francis]
Os idiomas se misturavam perante suas palavras, pois Drake saía um pouco de "si" quando ingeria muito álcool.
- Que venham mais disputas! Aye! [Francis]
Ao acompanhá-lo em seus movimentos a Capitã acabou investindo com mais força do que o esperado, contribuindo para desequilibrá-lo. A questão é que ela não estava tão diferente assim de Aleksey, não conseguiu se manter firme e acabou por cair junto dele, mais precisamente de uma forma que a deixou levemente constrangida. 
- Minha mãe adorava flores dessa cor, por isso dei essa tonalidade ao meu cabelo. Agora o rosto corado é simplesmente por causa do rum! [Francis]
Ela falava com dificuldade por não saber ao certo como reagir, desviou o olhar, respirou fundo e continuou se justificando.
- E é claro que minhas madeixas combinariam com meu rosto, tudo em mim combina, não faço nada impensado! Essa bebida é só o começo do que irás provar daqui para frente, nem mesmo eu sou acostumada a tanto, mas dessa garrafa toda eu dou conta. Está vendo? Consigo dar conta. [Francis]
Drake reuniu forças sabe-se lá de onde e se levantou, ajeitando seus trajes e estendendo a mão para que ele fizesse o mesmo.
- Eu estou bem. Está tudo bem! você está bem? Não é? Consegue andar?  Se não conseguir sugiro que sente onde estava antes. Ou descanse. Talvez descansar lhe caia bem depois de beber tanto? Se bem que...você não bebeu tanto assim. Bebeu? [Francis]
A pirata falava pelos cotovelos, sequer se deu conta quando Albion apareceu e ficou a observando.

Ver perfil do usuário

em Dom 01 Abr 2018, 11:55

- Sim, falo, aprender outras línguas, foi o minimo que pensei, que eu deveria fazer, antes de sair para me aventurar pelo mundo.Acho que você me entende, né? Quando desejar apostar,pode me chamar, pois, estarei sempre pronto lhe aguardando.
>> Caídos no convés
- Ela adoraria ver a cerejeiras de Khitai, mesmo sendo apenas alguns desenhos que vi no livro enquanto aprendia o idioma deles, elas pareciam tão bonitas.Creio que você também adoraria ver elas, quem sabe algum dia não viajamos até lá, não é mesmo? Não tenho no que discordar, realmente tudo combina.Eu nunca havia encontrado um momento oportuno para lhe pergunta isso, mas agora que estamos tão perto, esse piercing tem algum significado?
Deslizo gentilmente meu polegar abaixo dele.
- Tentarei lhe acompanhar melhor da próxima vez, admiro sua resistência ao álcool,espero acostumar-me logo para me tornar um bom companheiro do copo. Se eu tivesse feito isso, não sei nem como estaria no momento.  
Alguns segundos depois ela  levantá-se e estende sua mão para me ajudar, qual a pego e me levanto.
- Que bom que você está bem. Estou bem também, os efeitos do álcool já diminuíram um pouco, talvez ter ficado estirado no convés tenha ajudado, não estou totalmente bem, mas o suficiente para ficar em pé. Vou seguir seus conselhos e descansar já que você tem mais experiência do que eu nesse assunto. Comparado a você que bebeu o resto da garrafa deve ter sido pouco, mas para mim essas quatro goladas bem dadas, foram o meu limite.
Meus sentidos estavam piores do que eu imaginava talvez por efeito da bebida ou minha cabeça estava tão focado nela, que esqueci do que aconteciam ao meu redor, já que não é a primeira vez que isso acontece. Pois, não escutei e nem vi Albion se aproximando, mas lembro de ouvi-la o chamando.Me aproximo do ouvido de Francis.
- Há quanto tempo você acha que ele está ali? Será que nos viu no chão e entendeu o que estava acontecendo de maneira errada? Pois, de um ponto de vista diferente deve ter parecido outra coisa.

Ver perfil do usuário

em Seg 02 Abr 2018, 16:19

Isso, Isso... Hector. - Confirmei ao homem conforme em lentos passos ia em direção á cama, ainda que com os olhos levemente estreitos quando olhava para tal. Embora de fato me sentisse de certa forma confortável naquele ambiente, observar aquela máscara parecia me lembrar da minha situação, que se eu falhasse naquele teste nem mesmo saberia oque seria de minha vida.

Ver perfil do usuário
#76Conteúdo patrocinado 


Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 3 de 5]

Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Por favor, faça o login para responder

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum

 
Parceiros
 | Banner PRNR | Naruto Dimension |  | Gray Island |  |  |  |  |  |  |  |  |  | Bulba RPG |  | :: Topsites Zonkos - [Zks] :: |