Seven Seas

Seven Seas RPG, uma Terra em um universo paralelo no século XVII, a era de ouro da pirataria. Aventuras de capa e espada, batalhas navais e um mundo inteiro pra descobrir e explorar o aguardam.

Fale Conosco

Procurados
Procurados Seven Seas

Últimos assuntos
» Parceria com Hero Story RPG
Sex 06 Jul 2018, 15:15 por Eric-Nero

» [Aventura] Um novo começo
Sex 29 Jun 2018, 11:03 por OtakuFedido

» [Aventura] Tudo tem seu preço... A ser pago.
Qua 09 Maio 2018, 23:04 por Delara

» [Evento] Chegada ao deserto
Qua 02 Maio 2018, 09:45 por Hiruma

» [Aventura] A Escola de Feitiçaria Francis para Piratas.
Ter 10 Abr 2018, 13:11 por Francis Mc'Dowell

» [Ficha] Anne Bonny - Anne Bonny
Sex 06 Abr 2018, 08:07 por Teach

» O Barco Escravista
Qua 04 Abr 2018, 22:12 por Apolo

» [Tripulação] Bad Company
Ter 03 Abr 2018, 09:09 por Teach

» [Evento] Delegação de Persis
Sab 31 Mar 2018, 15:20 por Hiruma

Prêmios do Mês
Hiruma
Narrador
Eponine
Herói
Missão
Francis
Interpretação
Kristopher
Vilania
Staff Online

Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

Ir à página : 1, 2  Seguinte

Por favor, faça o login para responder

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 2]

em Qua 09 Ago 2017, 14:02

Gawel Hoonholtz andava em direção ao cais, onde a tripulação o aguardava para desatracar a embarcação e partir para a expedição. O sol matutino começava a se mostrar, projetando penumbras das embarcações atracadas sobre as pessoas que também iniciavam seu dia de trabalho. Muitas estavam ali para adentrar o rio Sejm, enquanto que outras vinham dele e passavam pela Baia Stróz para navegar mar afora. As multidões ganhavam cada vez mais forma, crianças corriam de lá para cá e pescadores conversavam entre si sobre suas pescas passadas.

- Quase tudo pronto, capitão Hoon! - Disse um dos membros da tripulação, fazendo as últimas checagens do navio.

Assentindo com a cabeça, Hoon sentou sobre um banco de madeira próximo. Segurava em mãos um memorando que lhe foi entregue por um oficial, contendo os detalhes da operação. O documento por si só não continha nenhuma informação muito importante, mas o orientava a tomar mais cuidado por estar agindo sozinho. Hoon já estava ciente da situação e tinha grande preocupação em recolher dados consistentes sobre os ataques. Ele não foi designado apenas a uma missão de caça, mas também a uma missão de inteligência no qual deveria investigar a partir do zero.

- Vamos partir logo! Te ver sentado aí me entedia muito - protestava seu dievas enquanto Hoon parecia concentrado na multidão.

- Paciência, Lacie -  respondeu ao dievas pelo seu apelido. - Não podemos navegar sem rumo.

Hoon sabia que um típico lugar para conseguir informações a respeito de tudo o que acontece nos sete mares era exatamente onde ele estava. O problema era abordar a pessoa certa, pois havia várias opções nos arredores. Se encontrasse um pirata talvez pudesse obter informações valiosas, porém não avistou nenhum por ali, afinal é um desafio identificá-los em lugares movimentados. Seja como for, Hoon se levanta e inicia uma caminhada, atento a qualquer coisa que pudesse chamar sua atenção.
Detalhes da Aventura:

Nome: O Mar dos Revoltos
Resumo: Samárcia sempre passou por conturbações sociais. Recentemente, navios mercantes que transitam nos domínios reino vêm sendo atacados como nunca antes visto. O caso é tratado como ataques de piratas e grupos insurgentes, mas na verdade não se sabe ao certo quem é o autor. Capitão Hoonholtz foi designado para cuidar desse caso.      
Final: Hoonholtz resolve o problema e descobre a verdade por trás do incêndio que matou sua mãe e dos falsos rumores a respeito da morte de seu pai.
Recompensa: Argúcia +1  
Passo 1: Reunir informações sobre os ataques

Ver perfil do usuário

em Qua 09 Ago 2017, 16:54

A manhã no cais se iniciava com pescadores preparando suas embarcações, as portas de bares abrindo, alguns varrendo a rua, o som de conversas de um lado e de outro. Aquele barulho de pessoas com seus afazeres, conversas e discussões misturados aos sons de água batendo no cais,
estoques sendo repostos em navios, velas se abrindo e ancoras sendo levantadas. Gawel caminhava em busca de qualquer coisa que o chamasse atenção, e lá não havia falta de oportunidades, cortesãs na rua podiam saber de muitos detalhes, ainda mais o que é contado entre quatro paredes, sempre há alguém com a língua solta após uma bebida ou outra e claro, sempre há o Wilk morski. Wilk morski, o bar mais famoso pelas brigas que ali ocorrem do que a própria bebida já começava o dia com a janela da frente quebrada. Alguém acabara de ser arremessado do local, e em seguida alguns saem do bar para ver a continuação.


- Calma campeão eu não fiz nada ainda que merecesse tudo isso.

- Quem você acha que é para mexer com minha mulher rapaz?

Havia mais fregueses do bar do lado de fora formando um círculo para a luta dos dois do que dentro mesmo bebendo algo. O que fora arremessado, possuía traços jovens, um cabelo curto de cor escura uma estatura mediana e nada que o aparentasse de diferente, exceto seus olhos heterocromáticos, algo não muito incomum. Ele estava brigando com Jurgis, um homem corpulento e calvo conhecido por ter um pavio curto. Parecia que o motivo da briga era por causa de alguma mulher e o rapaz, mesmo que menor fisicamente desviava dos socos de Jurgis por pouco parecendo que era algo proposital. Assim que ele é cansado de tanto atacar o Rapaz mais jovem nocauteia o homem muito maior que ele para a felicidade e infelicidade dos que fizeram apostas naquela hora.

- Olha a hora, parece que estou atrasado para partir, meu capitão vai acabar me deixando por aqui, mais uma vez.

O rapaz corre então pelo cais, na direção por onde Gawel já havia passado, algum navio anterior teria algo que ele esperava encontrar?

Ver perfil do usuário

em Qua 09 Ago 2017, 22:41

Enquanto caminhava, Hoonholtz observava a reação das pessoas quando olhavam para ele, e a partir disso tentava adivinhar a impressão que elas tinham a respeito da imagem que ele representava. Algumas olhavam-no com indiferença, tornando difícil interpretá-las. Outras olhavam-no com medo: talvez estejam devendo algo para o Estado, ou então tenham algum tipo de trauma de armas/militares. Havia, ainda, aqueles que encaravam-no com um olhar intimidador: esses podem ser perigosos, mas também poderiam ser pessoas  normais e corajosas que não apoiam a situação politica vigente.

Ele continuava a fazer isso como um passatempo produtivo enquanto procurava por alguém ou algo útil para o seu trabalho. De fato, quase todos que transitavam por ali tinham uma chance altíssima de saber algo sobre o objeto de sua missão, pois informações sobre ataques no mar chegam primeiro nos portos para só depois se espalharem pelas cidades. Apesar disso, era muito precipitado abordar qualquer um no caminho fazendo perguntas. Esse tipo de coisa levantaria muitas suspeitas, e isso era o que o capitão menos queria no momento.

Ao passar próximo a um bar, notou que havia um princípio de tumulto. Pessoas se aglomeravam e faziam apostas ao redor de dois homens que não aparentavam ser muito amigos. Por instinto, Hoonholtz deu alguns passos para frente com a intenção de apartar a confusão, porém desistiu rapidamente. Brigas como aquela eram comuns por ali e não resultavam em danos muito sérios. Era uma briga de bar e uma forma de entretenimento, por assim dizer. Tentaria intervir caso a luta se tornasse sangrenta. Aliás, maioria do público, que investiu apostas no homem corpulento, não parecia tão entretida com o andamento do combate. pois o combatente menor levava a melhor e não levava um arranhão.


- Força bruta nem sempre é uma vantagem quando se enfrenta um oponente ágil- pensou Hoon, olhando o homem caindo desnorteado no chão.

O rapaz passou ao seu lado resmungando sobre a hora de zarpar e Hoonholtz o observou do canto dos olhos. Estava decidido: aquele rapaz seria seu objetivo do momento. Não havia ninguém mais interessante que um marujo para lhe dar respostas mais precisas.

Estabeleceu uma distância segura e voltou o caminho que havia feito, seguindo o jovem briguento. Não o perdia de vista e andava a passos ligeiros tentando fazer parecer o mais natural possível.

Ver perfil do usuário

em Qui 10 Ago 2017, 12:30

Gawel segue com certa distância aquele que chamou sua atenção, possivelmente ele teria informações, ou então alguém do navio dele. Ele caminha apressado para voltar a seu navio por alguns instantes até que de repente acelera e começa a correr, ele desvia do pessoal a sua volta, empurra um homem ou outro, pula uma barraca de um pescador e segue seu caminho assim. Será que ele havia notado algo? Será que percebeu que estava sendo seguido?

Em certo momento parece que ele some da rua, por um lado há um beco, mas há embarcações no cais, ele poderia ter entrado em uma delas para se esconder, de qualquer forma Gawel tinha que tomar uma decisão ou poderia perder o suspeito de vista e uma possível pista.

[Off]
Desculpe a demora e pelo pequeno post. Aqui no trabalho hoje ta corrido, mas estou fazendo o que posso x.x

Ver perfil do usuário

em Qui 10 Ago 2017, 15:34

Hoonholtz o seguia tranquilamente com um ritmo constante de passos. Andando daqui, andando dali, ele contornava os mesmos obstáculos que o rapaz passava segundos atrás. De súbito, o perseguido apertou o passo, ora esquivando com maestria ora dando esbarrões sem se preocupar com quem estava no caminho. Ele provavelmente percebeu que havia alguém atrás dele.

- HaHA! Parece que você é um péssimo espião - debochou Lacie.

O rapaz ficava cada vez mais distante a cada segundo que se passava. Às vezes, ele corria no meio de multidões e saía do campo de visão, porém Hoon o reencontrava logo após. A trama continuou assim, até chegar num momento em que o rapaz simplesmente sumiu do mapa.

- Para onde será que ele foi? - Pensou Hoonholtz, olhando para locais mais propícios de se esconder.

Hoon parou no meio da rua. Seria mais fácil encontrá-lo caso chamasse a guarda para procurá-lo, mas o meio tempo em que Hoon levaria para chamá-los daria uma boa chance para o perseguido escapar de vez.


- Com licença - Hoonholtz abordou a primeira pessoa que vinha da área de onde o rapaz desapareceu. Descreveu as características físicas dele e perguntou se o havia visto há alguns segundos.

Ver perfil do usuário

em Qui 10 Ago 2017, 16:59

Lacie: Sabe se quiser você pode me pedir ajuda para encontra-lo... basta um pedido e...

Era assim que o Dievas tentava, qualquer momento que parecesse oportuno ele indicaria que era mais fácil com um pedido, mas Hoon o ignora e pergunta à pessoa que passava mais próxima se havia visto alguém de olhos heterocromáticos e para talvez decepção de seu Dievas, sim, ele havia visto.

- A sim o cara com pressa ele correi por ali - O homem dizia enquanto apontava para o beco. E ali estava ele pendurado em um balcão, tentando subir por ele para talvez correr pelo telhado? Era isso que parecia, mas parece que a briga e a correria de antes o deixou cansado para falhar nessa pequena escalada. O beco era sem saída e então não havia muito o que o rapaz poderia fazer, ele solta suas mãos da bancada de alguma janela e fica frente a frente com Gawel.

- Ok, me desculpe, eu não sabia que ela era sua mulher... eu estou atrasado e só quero ir para o meu navio, prometo não voltar para esse porto.

Ele não aparentava sinais de partir para agredir, de fato ele estava com as mãos para o alto,
parecia que isso era até rotina na vida desse jovem.

Ver perfil do usuário

em Sex 11 Ago 2017, 03:08

Para sua felicidade, a pessoa que abordou percebeu a correria e indicou com exatidão o lugar para onde o rapaz se escondeu, poupando muito tempo e esforço que gastaria na tentativa de encontrá-lo. Depois de agradecer o homem, se dirigiu de imediato ao local apontado, um beco sem saída.

- Ele tem reflexos bons, quero ver se com todo o seu treinamento conseguirá acertá-lo - disse Lacie já imaginando o pior com sua mente caótica de dievas.

Já notando que qualquer tentativa de fuga seria inútil, o rapaz desistiu de correr. Hoon andava vagarosamente entre ele e a entrada do beco. Para se livrar dali, o fugitivo teria que passar por ele, o que não seria uma coisa fácil, principalmente contra alguém armado. O jovem levantou as mãos para o alto, e nesse momento Hoon imaginou que ele confessaria algum crime que cometeu. No entanto, para sua surpresa, ele confessou com uma negação ter seduzido sua mulher, algo que Hoon nunca teve. Para confessar esse tipo de coisa para qualquer um que fosse atrás dele, ele com certeza tinha o péssimo gosto de sair com damas compromissadas.  

- Minha mulher? Não, nenhuma delas era a minha mulher - Hoon respondeu e relaxou os musculos tensos por perceber que não teria de lutar.

- Você é um homem da lei. Ele é um arruaceiro que seduz mulheres e bate em seus maridos. Leve ele preso! Preso! Preso! Preso! Preso! - Dizia Lacie, tentando inutilmente irritá-lo, ao passo que Hoon apenas fingia que ela não existia.

- Certo, você pode ir ao seu navio. Eu vim aqui para levá-lo preso... digo, eu NÃO vim aqui para levá-lo preso!!! - Disse Hoonholtz ao rapaz, com uma nítida ruga de raiva na testa e uma imensa vontade de enforcar Lacie.  

Hoon se encostou na parede a fim dar passagem e apontou para a saída.

- Na verdade, estava atrás de você por outro motivo. Curioso para saber qual? Permita-me acompanhá-lo até seu navio. Aliás, conte-me sobre suas viagens. É agradável termos algo para conversar enquanto caminhamos, concorda?

Ver perfil do usuário

em Sex 11 Ago 2017, 15:16

Gawel: Certo, você pode ir ao seu navio. Eu vim aqui para levá-lo preso... digo, eu NÃO vim aqui para levá-lo preso!!!

Por um momento o rapaz hesitou em dar um passo a frente, quando escuta sobre ser preso seu primeiro pensamento era de tentar a bancada novamente, mas parece que Gawel tinha apenas se enganado e ele então espera as próximas palavras para ver o que aconteceria...

Gawel: Na verdade, estava atrás de você por outro motivo. Curioso para saber qual? Permita-me acompanhá-lo até seu navio. Aliás, conte-me sobre suas viagens. É agradável termos algo para conversar enquanto caminhamos, concorda?

- Er... Bem... Certo... se vou conseguir chegar a tempo, não me importarei, a propósito me chamo Noël.

Ele caminhava ao lado de Gawel e com a oportunidade de contar sobre suas aventuras ele não perderia a chance de se exibir, muito provavelmente tudo ali que ele contava era exagerado e muito fantasioso para ele sempre estar lá salvando o dia da tripulação quando mais precisava.

Noël: ... E foi assim que amarrei a fera e impedi de ferir meus companheiros... Sabe é difícil esses dias navegar por aqui, nosso capitão aceitou um novo contrato que paga muito bem, senão ficaríamos mais um tempo até a poeira baixar. Atacaram uma carga essa semana ainda, então ou quem é muito tolo ou muito corajoso como eu para navegar com cargas nessa situação. Sabe eu já te contei de quando....

Ele então voltava a outras histórias, mas sempre acabava soltando alguma informação que talvez interessasse a Hoon. Quem sabe Noël pudesse ajudar, mas aguentar as suas histórias seria um teste de paciência, Hoon já havia passado de seu navio nesse caminho e as histórias do rapaz continuavam.

Noël: ... Bom, parece que só eu estou aqui falando, e você vai sair em algum navio? Precisa de uma carona para algum lugar? Podemos te proteger se pagar duvido que ataquem a Étoile Bleue.

Ver perfil do usuário

em Sex 11 Ago 2017, 23:47

- Sou Gawel Hoonholtz - respondeu.

Hoonholtz escutava com atenção as aventuras relatadas por Noel. O tripulante parecia tão imerso em suas histórias que Hoon não tinha oportunidade para falar. Ele contava histórias que deixavam Hoon em dúvida se eram verossímeis ou não, tendo em vista que o rapaz demonstrou na última briga que tinha maestria em lutar e muita destreza. De qualquer forma, Hoon já estava acostumado com esses tipos de histórias contadas por navegantes e não se importou se eram verdadeiras ou não. O que realmente importava no momento eram os breves comentários que Noel fazia a respeito dos recentes ataques.

- Passei por uma experiência similar. No meu caso, todos foram mortos por uma fera poderosa que chamam de Estallio. Somente uma pessoa sobreviveu e ela está aqui caminhando ao seu lado - disse Hoonholtz, depois relatando o confronto com mais detalhes. Sua experoência com Estallio era mantida em sigilo, pois sabia que ninguém acreditaria. Noel, entretanto, parecia ser o tipo de pessoa que daria ouvidos a uma história "exagerada".

A essa altura, a tripulação da Imperatriz Fortuna estava pronta para zarpar e começava a ficar preocupada com o que o capitão estava fazendo.

- Não se preocupe comigo. Tenho uma fragata bem armada à minha disposição - respondeu Hoon, que aos poucos confiava mais no rapaz que acabara de conhecer. - Étoile Bleue? Não conheço esse nome, mas realmente deve ser uma embarcação bem protegida para serem uns dos poucos navegantes a terem coragem de navegar sozinhos nessa rota traiçoeira atualmente.

Hoon sabia que estava na jogada certa. Noel e seus companheiros poderiam estar bem antenados sobre os ataques e havia chance até mesmo de serem atacados.

- Irei direto ao ponto. Preciso que me digam tudo o que sabem sobre esses ataques- disse Hoon com franqueza. - Aliás, para onde irão? Talvez eu possa acompanhar o seu navio até certo ponto, pois não deixa de ser um alvo em potencial. Quero que diga ao seu capitão o que eu lhe disse e me apresente a ele.

Ver perfil do usuário

em Sab 12 Ago 2017, 14:12

Noël se espanta sobre Hoon também possuir histórias contra monstros, ele fica empolgado, porém não pergunta muito já que Gawel não entrou em muitos detalhes. Noël nunca ouvia falar de Estallio talvez porque nunca tenha ouvido falar.
Afinal ele e o navio a que pertence estão longe de Montaigne.


Noël: Não espero que conheça, estamos longe de casa fazendo uma entrega por aqui, é nossa primeira viagem por essas partes, mas nos alertaram de ataques de piratas.

Eles finalmente chegavam na embarcação de Noël e o navio a qual pertence: Étoile Bleue, Estrela Azul. Havia uma multidão em volta no porto olhando para aquele navio, o que era de se esperar nada como aquilo havia parado no cais antes. Um Galeão que muito provavelmente fora retirado da armada Castilhana. O nome original do navio provavelmente era outro, mas agora se chamava Étoile Bleue e pertencia a essa tripulação de Montaigne.

Noël: Aqui estamos, grande não é mesmo? Recuperamos eles de piratas que haviam roubados da Armada Castilhana, mas L'Emperor não quis devolve-lo então ficou conosco. Posso leva-lo ao capitão Gustave que o informará mais.

Com um pedido eles liberam a passagem para subir a Noël e Hoon à embarcação e ele vai em direção ao capitão que estava próximo ao leme. Apresentando o convidado a toda tripulação e inclusive o Capitão, Noël se retira para poderem conversarem.

Gustave: Bom, vejo que conheceu Noël... Espero que não tenha te colocado em nenhum problema. Sobre os ataques o que posso dizer é que fui alertado antes de vir aqui, 1 grupo de piratas tem achado que pode ser melhor que a Marinha e estão atacando qualquer carga que possam por as mãos, eles atacam com 3 navios e só vão para cima se estiverem em maior número.

Com isso dito o capitão ainda complementa aceitando a oferta - Poderá nos acompanhar sem nenhum problema, vá até onde for possível nossa rota é voltar a Montaigne.

[Off]

@Yves você deve ter completado o passo 1 a essa altura, escreva aqui o passo 2 lembrando que serão 5 passos ao total.

Ver perfil do usuário

em Sab 12 Ago 2017, 21:07

Passo 2: escoltar Étoile Bleue e interrogar ao menos um dos responsáveis pelos ataques

Apesar de não ter demonstrado, Hoon ficou estupefato com o navio que via a sua frente. Era sem dúvidas um dos navios mais majestoso que já viu em toda a vida.

- Étoile Bleue... essa embarcação deve ser renomada em sua terra - disse Hoonholtz a Noel. Ele imaginava que fazia sentido quando foi dito que esse navio dificilmente seria atacado.

Sob olhares curiosos da população, entrou no navio assim que foi convidado. Lá dentro, saudou a tripulação apresentada e prestou continência ao capitão.


- Sou Gawel Hoonholtz, capitão de fragata da armada samártica. Prazer em conhecê-lo - apertou a mão do homólogo do galeão.

Hoonholtz ficou em silêncio enquanto os tripulantes se afastavam para deixá-los a sós. Em seguida, Gustave lhe deu uma informação valiosa sobre os incidentes. Se atacavam em trios navios em desvantagem numérica, Étoile Bleue poderia estar na mira deles, mesmo sendo um navio assustador. Imperatriz Fortuna seria uma boa dupla ao galeão caso algo assim aconteça.


- Noel não me trouxe problemas, mas eu não poderia dizer o mesmo dele próprio e da reputação do seu capitão - respondeu Hoon ao capitão, imaginando que tipo de punição que Noel levaria depois disso. Lacie, enquanto isso, se divertia por Hoon ter dedurado o rapaz. - Quanto a viagem, ficarei satisfeito em acompanhá-lo. Também posso lhe dizer que estou numa missão para combater esses malfeitores. Capturar algum deles me será de grande utilidade para chegar mais perto da espinha dorsal do grupo criminoso, esse é o principal motivo da minha escolta ao seu navio.

Depois de conversar mais um pouco, se dirigiu para fora da embarcação em direção à Imperatriz Fortuna. Estava tudo pronto, só faltava partir. Sua tripulação, impaciente, ficou eufórica quando avistou o capitão voltando. Hoon explicou tudo o que aconteceu até aquele momento e ele pôde perceber que a maioria ficou enérgica com a noticia.

- Chegou a hora! Já estava sentindo falta do doce cheiro de pólvora queimada - disse um dos tripulantes, que ajudava os companheiros a desamarrar o navio do atracadouro.

- Icem as velas! Hoje mostraremos que há guardiões nessas águas. Marujos, o que é aquele brilho que navega no horizonte?

- SOMOS NÓS, OS GUARDIÕES ESPLENDENTES! - Gritaram os marujos, com a fragata começando a ser impulsionada ao sabor do vento.  

Ver perfil do usuário

em Dom 13 Ago 2017, 21:14

As embarcações zarpam e começam a cair para a baía Stroz. O vento estava bom, tudo estava certo, O galeão Gustave e a Fragata de Gawel se juntam para navegarem próximas. O percurso é a rota passada ao galeão, o mesmo percurso feito para ida era o mesmo para a volta.

O caminho era fácil. Hoon conhecia ali e não era a primeira vez que ele já havia navegado por essas águas, assim como seus marinheiros. O caminho seguia para a saída da baía até que outros navios são avistados, a bandeira negra estendida logo revelavam sua verdadeira intenção, piratas.

- ÀS ARMAS. DEIXAR A MEIA VELA E PREPARAR CANHÕES.

Gritos de ordens podiam ser escutados do navio ao lado, assim como o disparo dos primeiros canhões, o terceiro navio então aparecia, ele chegava por trás e provavelmente vinha de algum outro afluente sem ser o rio sejm. Os disparos chegavam próximos, mas não era o suficiente ainda para acertar alguma das duas embarcações, mas era certeza que um combate navio se iniciaria por hora.

Risco: Sobreviver ao combate naval
Consequência: Sofrer 6 Ferimentos no Navio

[Off]

Dependerá do seu método e do que irá fazer agora, mas os navios adversários causarão dano ao seu navio a não ser que gaste apostas para evitar isso.

Ver perfil do usuário

em Seg 14 Ago 2017, 23:51

Off: Desculpa pela demora. Dia dos Pais e volta às aulas...


Étoile Bleue e Imperatriz Fortuna navegavam em coordenação empurradas pelos ventos fortes da Baía. À vista, não se via mais navios próximos. Por causa dos piratas recentes, O medo passou a imperar sobre os navegantes que antes navegavam por estas águas com pouco receio de serem atacados. Agora, poucos deles aceitavam transitar nesta região.

Hoonholtz estava de pé na proa da embarcação, imóvel enquanto o vento gelado batia contra seu rosto. A sensação do momento era de cautela e receio. Ele olhou para o galeão ao lado, onde o capitão parecia também cauteloso.

Não demorou muito para avistarem os inimigos e a informação do capitão Gustave se revelou precisa: eles emboscavam navios em trios.

A tripulação do galeão se preparou para o confronto e os Guardiões também fizeram o mesmo. Os canhões já prontos para disparar angulavam num dos navios de vela escura que se aproximavam.


- Disparem ao meu sinal - orientou Hoonholtz a tripulação. Enquanto isso, chuvas de balas respingavam cada vez mais próximas da fragata e os próximos disparos poderiam atingi-los.
- Executar manobra evasiva, agora!

O marujo posicionado na popa acatou a ordem e iniciou solavancos abruptos no leme. A veloz fragata então começou a fazer movimentos irregulares, se angulando de um lado para o outro e fazendo zigue-zagues. Hoon tinha aprendido que essa era uma tática favorável a navios ágeis quando são emboscados pelos inimigos, pois esse tipo de movimento fazia com que a trajetória do navio ficasse imprevisível e os canhoneiros inimigos errassem os disparos.

- Às minhas ordens - Hoonholtz levantou a mão para cima e depois apontou para o navio inimigo. - Fogo!

[off]: Com Panache (3) + Arte da Guerra (3) + O Favorito do Oceano (1) + Perícia Impar (1), anular os 6 ferimentos e se sobrarem apostas utilizarei todas para tiros de canhões contra o navio pirata mais próximo.
A fragata tem as peculiaridades Caçador de Piratas (10s explodem contra piratas) e Batalha Proeminente (desampara com 5 feridas dramáticas).

Ver perfil do usuário

em Seg 14 Ago 2017, 23:51

O membro 'Yves' realizou a seguinte ação: Rolar dados


'd10' : 6, 10, 9, 9, 8, 1, 3, 1

Ver perfil do usuário

em Ter 15 Ago 2017, 08:42

O membro 'Teach' realizou a seguinte ação: Rolar dados


#1 'd10' : 7, 4

--------------------------------

#2 'd10' : 7, 2, 8, 9, 8, 1, 10, 1, 5, 9

--------------------------------

#3 'd10' : 1


Ver perfil do usuário

em Ter 15 Ago 2017, 20:23

Gawel:
Gawel: 6, 17, 9, 9, 8, 1, 3, 1 e 4 (Bônus de narração)

6+4
17
9+1
9+1
8+3


Total: 5 Apostas

Tripulação:
Tripulação: 7, 2, 8, 9, 8, 1, 11, 1, 5, 9

7+5
2+8
9+1
8
11
1+9

Total: 5 Apostas




As ordens foram dadas e os tripulantes começam a movimentar o navio. Disparos de canhão são feitos novamente em direção a Imperatriz Fortuna e ao Galeão. Com habilidade, Hoon comanda sua tripulação a manobrar a embarcação tanto para desviar dos tiros de canhão, assim como para entrar em uma posição mais vantajosa e que permita um tiro certo em direção ao navio pirata.

- Se preparar para chuva de balas capitão!

O anúncio não era errado disparos estavam sendo feitos a todo momento contra seu navio, mas sua tripulação era bem treinada obedecendo as ordens perfeitamente e assim a chuva de balas que vem em sua direção é esquivada causando apenas ondas que se faziam do chumbo caindo no mar. (-6 Apostas) Em uma posição melhor que antes, os tripulantes escutam seu capitão fazer um sinal e assim dizer - Fogo! - Os canhões do Imperatriz Fortuna fazem o primeiro disparo desse dia, algumas balas caem antes, outras passam por cima do navio, mas o que importa é que o navio pirata fora acertado. (-4 Apostas)

O Galeão também fazia seu trabalho e com a ajuda dele outro navio também era alvejado por disparos. O terceiro navio, mais ágil que os outros se aproximava em direção a imperatriz, ele estava preparando para parear o navio? Será que esses piratas iriam aportar no Imperatriz Fortuna e tentar tomá-lo diante de Gawel e sua tripulação? Ali era a Baía Stroz onde ele já havia navegado diversas e diversas vezes, não seria possível que alguém tentaria algo assim no seu próprio território onde já navegou tanto com seu próprio navio e até com seu pai.]

Oportunidade: Usar Argúcia e navegar por partes traiçoeiras levando o navio que se aproxima ao erro e possivelmente encalhar.

Os disparos ainda continuavam e os outros dois navios não conseguiam se aproximar, o Étoile Bleue fazia seu trabalho de impedir que os outros mais se aproximassem, a isso poderia durar um pouco, as balas continuavam a acertar o casco das embarcações piratas, parecia que eles escolheram o oponente errado para aquele dia. Enquanto permanecia ali as embarcações inimigas também se moviam e preparam para mais uma saraivada de tiros em direção à Imperatriz Fortuna.

Risco: Sobreviver ao combate naval
Consequência: Sofrer 8 Ferimentos no Navio

[OFF]

6 Apostas foram feitas para evitar todos os ferimentos e as outras 4 para causar dano, como acabaram as apostas, terá que rolar dados novamente.

Ver perfil do usuário

em Sab 13 Jan 2018, 17:32




- Aproximação inimiga a bombordo!

Hoon escutou o aviso da tripulação e observou o horizonte com mais atenção. Enquanto outros navios piratas eram confrontados pelos canhões de Étoile Bleue, um mais veloz se aproximava perigosamente da Imperatriz Fortuna que angulava as velas com o vento para pegar mais velocidade. Em poucos minutos iriam colidir e um emparelhamento era tudo o que Hoon não queria naquela situação.

- Para os rochedos! - Exclamou o capitão à tripulação, que não hesitou em acatar a ordem apesar do receio. Batalhar navegando entre rochas era suicídio, mas o capitão sabia o que estava fazendo e jamais tomaria decisões irracionais.

Em vez de interromper a perseguição, o navio pirata persistia em persegui-los, mesmo sob o risco de ser atingido por fogo amigo devido sua curta distância da Imperatriz. Por ter de estar sempre manobrando a fim de continuar a tornar sua trajetória imprevisível aos canhoneiros piratas, a fragata perdia velocidade e distância do inimigo a cada segundo que se passava.

O caminho à frente consistia em enormes formações rochosas onde ondas batiam com violência, e quando recuavam, revelavam partes pontiagudas capazes de destroçar até mesmo os mais robustos dos navios de guerra. A partir da localização de onde estavam, a correnteza empurrava para a formação rochosa maior. Caso não dessem meia volta, havia apenas duas opções para os dois navios saírem dali: seguir a  Noroeste, onde estava uma boa quantidade das pedras pontiagudas, ou a Norte, onde aparentemente não havia obstáculo algum.


- Continuem para noroeste - parte da tripulação reagiu estarrecida à nova orientação do capitão, que demonstrava confiança. A outra parte, constituída de marinheiros mais antigos, parecia já entender o que o capitão estava planejando.

Os piratas poderiam optar por continuar a perseguição por entre as pedras ou a Norte, o caminho mais seguro e rápido. Poucos sabiam, entretanto, que o caminho ao Norte tinha um obstáculo invisível: um extenso banco de areia, responsável por encalhar muitas embarcações desavisadas.

Induzir o inimigo ao encalhamento exigia da Imperatriz navegar para outro caminho também traiçoeiro. Velejar entre rochedos era deveras perigoso, mas Gawel conhecia a área como a palma da mão. Ainda assim, havia a desvantagem de estar navegando devagar e se tornar um alvo mais fácil para os piratas. A fragata se deslocava para a direção do galeão, possivelmente em igualdade numérica com os piratas.


- Prontos para os próximos disparos! - O imediato avisou o capitão e prontamente recebeu mais um comando para disparar.

Os marinheiros executavam mais uma saraivada de tiros. Os canhões disparam e as balas são lançadas sequencialmente contra a região onde se localizam os canhões da próxima embarcação inimiga que se reposicionava para alvejá-los.   
[off]: Argúcia (2) + Arte da Guerra (3) + O Favorito do Oceano (1)
Adicionei elementos ao cenário por causa da oportunidade.
Somarei as minhas apostas que sobrarem com as apostas da tripulação. Acho que ordenar que ataquem os canhões do inimigo para impedi-los de acertar a fragata é uma ação abrangida por argúcia + arte da guerra

Ver perfil do usuário

em Sab 13 Jan 2018, 17:32

O membro 'Yves' realizou a seguinte ação: Rolar dados


'd10' : 9, 2, 10, 1, 1, 6

Ver perfil do usuário

em Sab 13 Jan 2018, 21:36

O membro 'Teach' realizou a seguinte ação: Rolar dados


'd10' : 5, 5, 1, 2, 4, 6, 4, 2, 5, 4

Ver perfil do usuário

em Dom 14 Jan 2018, 12:02

Sem problema adicionar elementos na cena, afinal era uma oportunidade sua e se encaixa em águas traiçoeiras.

Tripulantes: 3 Apostas

Yves: 2 Apostas



Aproveitando a oportunidade que havia visto Gawel ordenava cada um de seus tripulantes a movimentar sua embarcação em direção aos rochedos, ele parecia saber o que fazia e seus inimigos o seguiam mesmo assim. Saraivadas de canhões eram lançadas de todos os lados.

Imperatriz Fortuna balançava com as ondas agitadas do campo de batalha, balas de canhões raspam no casco da nau, mas Gawel estava preparado para isso, seus tripulantes estavam todos em posição e era a vez deles de contra atacar.


- Prontos para os próximos disparos!

Com o aviso a ordem era dada e o oponente sem meios de escapar por ter seguido até as formações rochosas pouco pode fazer para escapar. Alguns tiros erravam o alvo exato, mas esses ainda assim acertavam a embarcação inimiga. Mas alguns tiros foram certeiros em direção aos canhões inimigos. Uma ou outra explosão podia ser escutada claramente após a bala atravessa-los. A fragata inimiga havia parado, ela não se movia e fogo surgia por baixo de seu casco. Alguns homens desertavam e se jogavam ao mar para escapar do fim que teriam se ficassem ali enquanto outros pareciam estar tentando controlar os danos causados até o momento.




Yves: 0 Apostas
Tripulação: 0 Apostas

Imperatriz Fortuna recebeu 3 Avarias, nenhum tripulante caiu ao mar ou morreu até o momento.

Ver perfil do usuário

em Dom 14 Jan 2018, 17:33



Os Guardiões com sucesso neutralizaram a embarcação inimiga que optou por navegar entre os rochedos, fazendo com que sua tripulação ficasse em maus lençóis. Alguns ficavam para tentar controlar o incêndio e outros pulavam na água. Com sorte seriam todos resgatados e capturados por uma embarcação de grande porte como o galeão, caso contrário seriam velados pela Mãe Oceano.

A Imperatriz Fortuna estava avariada, mas felizmente sua funcionalidade não fora afetada. Enquanto navegavam na direção da Étoile Bleue, pararam no ponto onde estavam mais próximos dos piratas desamparados. A imperatriz estava estrategicamente posicionada de tal modo que o navio desamparado estivesse entre o navio de Gawel e os outros piratas.


- Hoon, mate todos. Essa é sua chance - Lacie tentava corrompê-lo. - Mostre a eles quem você é de verdade.

- Alto lá! - Hoon ignorou a dievas e exclamou com neutralidade aos piratas desesperados e jogou uma corda no navio inimigo para somente uma pessoa subir. - Não se apavorem. Não iremos executá-los. Só quero que me entreguem seu capitão. Permaneçam no seu navio se possível.

[off]: Panache (3) + Convencer (2) + O Favorito do Oceano (1) + Pericia Impar (1)


Ver perfil do usuário

em Dom 14 Jan 2018, 17:33

O membro 'Yves' realizou a seguinte ação: Rolar dados


'd10' : 6, 10, 3, 2, 8, 9, 1

Ver perfil do usuário

em Dom 14 Jan 2018, 19:55

Gawel: 10. 6+3+1. 8+2. 9.

3 Apostas



A tripulação de Gawel comemorava com o tudo que havia acontecido, eles teriam que fazer alguns reparos na Imperatriz, mas nada que fosse alarmante. Eles davam meia volta e se dirigiam ao navio que acabava de ficar preso naquele local. era visível o pânico naqueles que se atiravam a água e a preocupação nos outros que permaneciam ao tentar recuperar o que possuíam.

O dievas em mais uma de suas tentativas dava ideias ao que achava melhor Gawel fazer com os piratas restantes, mas ele parecia ter outra ideia reservada para os piratas, mais especificamente o capitão deles.


- Não se apavorem. Não iremos executá-los. Só quero que me entreguem seu capitão. Permaneçam no seu navio se possível.

Certa confusão se instaurou na nau encalhada, alguns passavam de um lado para o outro, gritos eram escutados de todos os lados geralmente com mais de uma pessoa aos berros. Esse momento dura por alguns poucos minutos até que sai de dentro da fragata inimiga um homem com cabelos compridos e morenos assim como sua barba que se ligava ao cabelo parecendo que eram um só. Alto, maior do que quase todos ali do outro navio e mais musculoso também, algo fácil de perceber já que não usava uma camisa, apenas um protetor em seu ombro esquerdo. Ele não carregava nenhuma arma, suas roupas não pareciam com trapos como o dos outros marinheiros e com um olhar rápido qualquer um perceberia, era um vestenês.

Ele sobe pela corda e adentra à Imperatriz Fortuna, assim que entra já levanta as suas duas mãos indicando que não carregava armas consigo e que não apresentava fazer mal. Ele aguardava o que Gawel iria fazer com ele, mas antes disso se apresentava para todos ali naquela Nau.


- Sou Cnut Leifson, capitão daquela velharia e agora capturado por samárcios. O que gostaria comigo?

ele mantinha a cabeça alta com orgulho, não parecia que estava sendo capturado ou que era refém, mas sim que era um passageiro digno de estar ali.



Gawel; 2 apostas restantes

Aparência Cnut:

Imagem para melhor descrição do personagem.

Ver perfil do usuário

em Seg 15 Jan 2018, 00:22



A demora da balbúrdia instaurada no navio desamparado fez Hoon crer por um breve momento que os piratas não iriam se entregar. Seu temor mudou quando um homem corpulento irrompe do meio do grupo barulhento e sobe na imperatriz. A tripulação observa calada enquanto o barbudo entra na embarcação com compostura e sem demonstrar medo ou nervosismo.

- Vejo que o capitão é oriundo das terras do Norte - disse ao capitão pirata com indiferença, tentando não ser rude nem cortês. - Acompanhe-me.

Hoon caminhou até o centro do convés. A tripulação formava um corredor ao redor deles. Os marinheiros estavam ocupados vigiando o exterior, mas de vez em quando encaravam com olhares tortos o capitão capturado.

- No momento não podemos ter uma longa conversa. As circunstâncias não permitem - Gawel apontou para Étoile Bleue, que banhava de fúria os outros navios piratas. - Creio que breve terá de assistir o decorrer da batalha num lugar privilegiado: o convés da Imperatriz Fortuna.

Devido ao tamanho do brutamonte, Hoon era obrigado a falar olhando para cima. As características intimidadoras do pirata faziam-no pensar duas vezes antes de chegar muito perto dele.

- Ainda assim, temos tempo suficiente para darmos um pontapé inicial no nosso diálogo. Cnut Leifson, gostaria que me dissesse quem são e o porquê de estarem conturbando as águas samárticas.

Ver perfil do usuário

em Seg 15 Jan 2018, 18:31

[Off] Conheço gente que já chegaria na intimidação e fazendo pergunta, mas como esse não foi o caso vou tratar normal sem precisar de rolagem, a menos que isso vire uma Sequência Dramática e queira fazer risco sociais (Convencer, Intimidar, essas coisas).



Disparos ao fundo ainda podiam ser escutados ao longe e Cnut estava lá no centro junto a Gawel assistindo a vitória garantida de Étoile Bleue. Ele as vezes olhava para Hoon outras horas desviava o olhar para a direção da batalha que acontecia além deles, mas era isso. Cnut não parecia ter nenhum ferimento além dos arranhões comuns e apenas obedecia e escutava o que Gawel tinha a dizer.

- ... Cnut Leifson, gostaria que me dissesse quem são e o porquê de estarem conturbando as águas samárticas.

Cnut: Espero contar o que sei em troca de ir embora com meu navio. Pois eu sei que não sou eu que você realmente deveria estar atrás e sim de quem está nos contratando.

Uma embarcação estava parcialmente afundada enquanto outra sem mastro se virava com pás e remos para ir embora. O galeão havia parado de lutar e deixado o outro ir embora subindo para um afluente qualquer. Nisso Cnut que olhava para isso também conta mais um pouco antes de barganhar por sua tripulação.

- Está errado em achar que somos piratas, esse caso não é sobre isso, somos mercenários de grupos diferentes, mas eu não irei por o resto da minha embarcação e tripulação em risco para isso.

Ver perfil do usuário
#26Conteúdo patrocinado 


Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 2]

Ir à página : 1, 2  Seguinte

Por favor, faça o login para responder

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum

 
Parceiros
 | Banner PRNR | Naruto Dimension |  | Gray Island |  |  |  |  |  |  |  |  |  | Bulba RPG |  | :: Topsites Zonkos - [Zks] :: |